Tamyres Paulino - 06/03/2014 08h09 - Atualizado em 06/03/2014 08h12
Suspeito de participar de um tiroteio que matou duas pessoas e deixou um bebê ferido na sexta-feira de carnaval
Um dos suspeitos de participar do tiroteio que matou duas pessoas na sexta-feira de Carnaval, em Iriri, no Sul do Estado, foi preso na manhã desta quarta-feira (5), durante uma operação da Polícia Militar. Victor Caldeira Santos, 22 anos - conhecido como VK - também é apontado pela polícia como um dos líderes do tráfico de drogas na região de Boa Vista, em Vila Velha.
 
O suspeito estava como uma pistola .40 - que é de uso restrito da polícia - fabricada na República Tcheca. A polícia chegou até o rapaz por meio de denúncias anônimas. Ele foi preso em casa, no bairro Santos Dumont. Victor nega envolvimento no tiroteio e disse que uma das vítimas, Lutierry Nascimento dos Santos, 22 anos, era amiga dele. 
 
A polícia acredita na participação de Victor no crime. Ele confirmou que esteve no balneário no dia do tiroteio, e disse que, ao saber da morte do amigo, resolveu voltar para casa junto com a mulher e a filha. 
 
“Ele está com a mão ferida e disse para nós que foi baleado nesse tiroteio em Iriri. Porém, quando chegou na delegacia contou uma versão diferente para a imprensa e disse que o ferimento foi provocado há dois meses atrás, durante um confronto no bairro Boa Vista”, ressaltou o cabo Igor, do Grupo de Apoio Operacional (GAO).
 
A pistola encontrada com Victor estava atrás de um guarda-roupas. Ele foi levado para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vila Velha, onde foi autuado por porte ilegal de arma de fogo de suso restrito. 
 
O assassinato
 
No sábado (01) de carnaval, dois homens morreram e um bebê de sete meses ficou ferido em um tiroteio por volta das quatro da manhã, em Iriri, Anchieta. A tragédia aconteceu em uma casa de praia, alugada por um grupo de pessoas para curtir o carnaval.
 
Duas mulheres haviam saído para comprar cerveja e, quando chegaram em casa, encontraram o corpo de Lutierry Nascimento dos Santos, 22 anos, caído na varanda da residência, além de Lucas da Silva Máximo, 19 anos, baleado na rua e sua filha, de sete meses, aos prantos e com um ferimento na perna.


Comentários: