Elton Roza - 20/09/2014 10h15 - Atualizado em 30/09/2014 16h38
A mansão secreta de Paulo Hartung
Nas declarações de bens à Justiça Eleitoral, o ex-governador omitiu a casa de luxo em Pedra Azul.

Principal destino dos milionários capixabas, a região das montanhas concentra as grandes mansões do Espírito Santo. Em meio à paisagem paradisíaca de Pedra Azul que, segundo estudos da Organização das Nações Unidas (ONU), tem o terceiro melhor clima do mundo, uma casa que combina estruturas metálicas e vidros se destaca em relação às demais construções – igualmente luxuosas. A mansão localizada no condomínio “Villaggio Verdi” – um dos mais badalados das montanhas capixabas – pertence ao ex-governador Paulo Hartung (PMDB), mas o imóvel foi omitido de sua declaração de bens entregue este ano à Justiça Eleitoral.
 
O terreno foi adquirido pelo candidato ao governo e sua mulher, a psicóloga Cristina Gomes, em agosto de 2011. A área está registrada na matrícula 11.562, na página 26 do Livro nº 2-AB.2, do Cartório do 1º Ofício de Domingos Martins. Consta no registro oficial que o terreno com área de 2.112,07 metros quadrados, situado no setor E do condomínio, foi comprado pelo casal Hartung e Cristina por R$ 160 mil no dia 02 de agosto de 2011. A unidade pertencia à empresa LDG Construtora e Incorporadora Ltda, responsável pelo empreendimento imobiliário. (Clique aqui e veja a íntegra do documento).
 
 
Apesar de fazer parte do seleto grupo de donos de mansões na região, o ex-governador omitiu de sua declaração de bens não apenas a aquisição do terreno, mas também a construção do imóvel, que sequer foi averbado junto ao cartório. Fontes do mercado imobiliário consultados pela reportagem de Século Diário estimam que o valor da casa do ex-governador supere em muito a casa dos R$ 2 milhões. Esse é o preço mínimo dos imóveis na valorizada região. Em alguns casos, o valor de algumas mansões pode ultrapassar facilmente a casa dos R$ 10 milhões, dependendo do tamanho e a localização do imóvel.
 
Para o pleito deste ano, o candidato do PMDB declarou ter somente um apartamento no Edifício Moacyr Loureiro, com área de 250 metros quadrados, em frente à Praia de Itaparica, em Vila Velha. O mesmo imóvel já havia sido declarado na prestação de contas nas eleições de 2006. Nas duas ocasiões, o valor declarado do apartamento foi de R$ 617,5 mil. Esse imóvel não aparece na declaração de bens de Hartung, disponível no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES).
 
A “mansão secreta” de Hartung fica na parte alta do condomínio que possui toda a infraestrutura de um clube fechado e abriga outras construções de luxo. No entanto, a casa do ex-governador chama atenção pelo acabamento de alto padrão e a utilização de materiais de última geração, como estruturas de metal. A fachada da residência é toda em vidro e madeira com linhas minimalistas. O imóvel se assemelha às casas reproduzidas em revistas de arquitetura e lembra o estilo de uma famosa construção da gestão do peemedebista: o Cais das Artes.
 
 
A região de São Paulo, localizada no distrito de Aracê, abriga mais de uma de dúzia de condomínios residenciais em uma área total com 2,68 milhões de metros quadrados no município serrano. Somente o condomínio Villaggio Verdi tem 124 lotes em uma área de 421,9 mil metros quadrados. No local, os proprietários têm a disposição uma área comum com estrutura de sede social e área de lazer, no estilo de clube fechado. O condomínio é um dos mais luxuosos da região que fica próxima à Pedra Azul.
 
Entre os vizinhos do ex-governador estão grandes empresários, como Otacílio Coser (do setor de comércio exterior), Américo Buaiz (comunicação e alimentos), Erling Lorentzen (fundador da Aracruz Celulose) e Eliezer Batista (ex-presidente da Vale). Também constam empreiteiros, desembargadores, juízes e políticos – alguns deles intimamente ligados ao ex-governador Paulo Hartung.
 
Um desses políticos com imóveis na região é o presidente do PMDB estadual, o deputado federal Lelo Coimbra, que é candidato à reeleição. Ele é proprietário de uma mansão (foto abaixo) no Loteamento Pedra Azul, que fica na Rota do Lagarto – local mais próximo à base da montanha. O imóvel também foi omitido na declaração de bens à Justiça Eleitoral, apesar do peemedebista ter adquirido o imóvel há mais de oito anos.
 
De acordo com a matrícula 7.875, registrada no Livro nº 2-Z.5, do Cartório do 1º Ofício de Domingos Martins, Lelo Coimbra adquiriu a propriedade no dia 21 de fevereiro de 2006 o terreno (lote 11) com área total de 720 metros quadrados, onde foi construído um prédio residencial de dois pavimentos com área de 114,46 metros quadrados. Naquela ocasião, o então vice-governador de Hartung declarou ter pago R$ 150 mil pelo imóvel.
 
Além da dupla Hartung e Lelo, outro personagem do governo passado que tem mansões na região das montanhas é o ex-secretário de Governo e de Transportes na gestão passada, Neivaldo Bragato. O auxiliar do ex-governador e ex-presidente da Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan) é vizinho do casal Hartung e Cristina no condomínio “Villaggio Verdi”. Ele e a atual mulher, a auditora fiscal Mônica de Araújo Saldanha, compraram um imóvel residencial com 224,04 metros quadrados, situados em um terreno com 2.621,68 metros quadrados, no lote 49 no setor B do condomínio.
 
De acordo com o registro do imóvel – matrícula 10.972, página 135, do Livro nº 2-AA.2, do Cartório do 1º Ofício de Domingos Martins –, o auxiliar de Hartung e a esposa compraram 50% cada do imóvel, cujo valor declarado foi de R$ 420 mil. O casal de funcionários públicos também aparece como dono de uma casa duplex no Condomínio Vygotsky, localizado no balneário da Enseada Azul, em Guarapari. A propriedade teria sido adquirida em fevereiro de 2001 pelo valor de R$ 63,5 mil, de acordo com a matrícula 45.476, do Livro nº 2, do Cartório de Registro Geral de Imóveis do município.


Com Informações Século Diário / Nerter Samora
Comentários: