Filipe Benevides - 01/06/2016 17h43 - Atualizado em 01/06/2016 17h56
VI Bienal Rubem Braga começa agitando o cenário cultural cachoeirense
Zezé Motta e Ian SBF, do Porta dos Fundos, os principais nomes dos primeiros dias do evento, falaram sobre temas relacionados ao mundo da leitura e da internet.
A VI Bienal Rubem Braga começou oficialmente na noite de ontem, com a apresentação da Orquestra Sinfônica Capixaba, no Teatro Rubem Braga, seguindo de uma sessão solene de abertura e uma conferência, que teve como convidados especiais a atriz e cantora Zezé Motta e o capixaba Wilson Coelho. O tema central da conferência foi 'Literatura e Interpretação'.
 
Porém, a largada para o ciclo de debates iniciou-se na manhã de hoje, às 9h00, e teve direito a nova sessão, às 14h00. Com o tema 'Produção de Conteúdo Para a Internet', um dos co-fundadores do grupo Porta dos Fundos, Ian SBF e Daniel Furlan, artista paulista multi talentoso, falaram sobre suas perspectivas acerca deste novo meio de disseminação de diversos conteúdos, sob a mediação do professor capixaba Raoni Huapya.
 
Hoje a noite o Auditório Marco Antônio de Carvalho, o principal da bienal, recebe, às 19h00, o carioca J.P. Cuenca, a paulista Andrea del Fuego e a capixaba Milena Paixão para debaterem sobre o tema 'Os "Dilemas" das Identidades de Gênero na Construção de Personagens Literários'.
 
Venda de livros
 
Foi montado também para o evento uma enorme tenda, onde acontece a tradicional feira do livro. Dentre os expositores está a livraria Ponto e Vírgula, que participa da bienal pela segunda vez e trouxe uma ampla variedade de livros novos, além de uma parte reservada aos livros seminovos. "Nós sempre temos como objetivo vender livros de alta qualidade mas com o menor preço possível", disse Nara Neves, responsável pelo estande.
 
Oficinas
 
Diversas oficinas também estão acontecendo na Bienal durante todos os dias do evento. Uma delas é a Oficina de Customização de Livro de Pano, cuja responsável é a artista plástica Cláudia Ferreira. Segundo ela, o objetivo do projeto é fazer com que as crianças possam confeccionar livros de pano utilizando recortes de tecido coloridos do seu jeito, para que os levem para casa e, junto de seus pais, possam escrever sua própria história.
 
Apresentações teatrais
 
A VI Bienal Rubem Braga traz também apresentações teatrais, voltadas principalmente ao público infantil, que acontecem em vários horários do dia. O Teatro Rubem Braga também receberá várias apresentações durante os dias da Bienal. Hoje (1), por exemplo, o grupo Clowns de Shakespeare apresenta, às 19h00, o espetáculo Nuestra Senhora. Para estas apresentações, a entrada é franca.
 
 


Folha do ES
Comentários: