Redação - 06/12/2016 07h34 - Atualizado em 06/12/2016 07h36
Deputados evitam discutir nomes para a presidência da Assembléia
Com a resistência do plenário da Assembleia Legislativa em relação à quarta recondução de Theodorico Ferraço (DEM) à presidência da Mesa Diretora, outros interessados no cargo estão se movimentando
Com a resistência do plenário da Assembleia Legislativa em relação à quarta recondução de Theodorico Ferraço (DEM) à presidência da Mesa Diretora, outros interessados no cargo estão se movimentando intensamente no sentido de atrair o interesse dos colegas, mas está difícil convencer o plenário, que no momento não está pensando em nomes.
 
Alguns deputados dizem que foram procurados por Rodrigo Coelho (PDT), que retornou à Assembleia na última sexta-feira (2), após deixar a Secretaria de Assistência Social do Estado. O movimento do pedetista já vinha sendo construído desde antes de ele retornar ao mandato, mas não vem conseguindo agregar apoios.
 
A ideia de que ele seria um candidato palaciano também não foi comprada pelos deputados. Outro governista que vem tentando ganhar espaço no plenário com a rejeição de Ferraço é o líder do governo Gildevan Fernandes (PMDB). Mas o movimento é apenas para se valorizar, pois o peemedebista tem dificuldade de trânsito no plenário.
 
Nos bastidores, os deputados alimentam a expectativa de que Ferraço imponha uma reação aos demais nomes, sobretudo, a Rodrigo Coelho. O embate de cachoeirenses interessa ao grupo de deputados que vem discutindo o processo eleitoral no plenário, pois aquece o debate. O grupo já tem 16 parlamentares, mas que por enquanto não querem discutir um nome para a disputa.
 
A ideia é de criar um debate mais profundo sobre o processo e mais para frente, debater dentro do grupo um nome para encabeçar a chapa à Mesa Diretora, além dos demais cargos. Com o afastamento da antecipação da disputa, os deputados ganham tempo para debater com mais cuidado todos os interesses envolvidos na questão.
 
A possibilidade de recondução de Theodorico Ferraço para o cargo, que ocupa desde 2013, foi criada com uma emenda apresentada pelo deputado Luiz Durão (PDT) – suplente de Rodrigo Coelho que deixa o plenário com o retorno do titular da cadeira –, permitindo a reeleição do presidente dentro da mesma legislatura, o que antes só era permitido em legislaturas diferentes, como aconteceu na última reeleição de Ferraço, no início de 2015, também por meio de uma emenda, apresentada pelo ex-deputado José Carlos Elias (PTB).


Século Diário
Comentários: