Redação - 18/03/2017 12h04 - Atualizado em 18/03/2017 12h04
'Cunha aponta que Temer roubava na Caixa', diz Dilma
Sergio Moro vetou parte dos questionamentos levantados pelo ex-deputado, afirmando que o peemedebista tentava constranger o presidente

Brasília. Em entrevista concedida ao jornal “Valor Econômico”, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que seu “capítulo preferido” da operação Lava Jato são os questionamentos que o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) encaminhou ao presidente Michel Temer através da Justiça do Distrito Federal.
 
“Quando li a primeira vez, lá sabia quem era José Yunes (ex-assessor da Presidência)? Mas lá está Eduardo Cunha dizendo que quem roubava na Caixa Econômica Federal, no FGTS, é o Temer. Não tenho acesso às delações, mas sei o que é um roteiro. E lá está explícito roteiro da delação de Eduardo Cunha”, declarou a ex-presidente.
 
Em depoimento à Justiça, Cunha teria elaborado uma série de perguntas a Temer sobre supostas irregularidades no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Na Justiça Federal do Paraná, o juiz Sergio Moro vetou parte dos questionamentos levantados pelo ex-deputado, afirmando que o peemedebista tentava constranger o presidente.
 
Dilma aproveitou a conversa para atacar Cunha, afirmando que ele e seus pares tinham posturas criminosas. “Eles (Eduardo e seus correligionários) assaltam o país. Assaltam. Do verbo assaltar. Além de outras coisas, né? Ele tem uma postura, em relação a direitos, coletivos e individuais, extremamente sectária”, apontou Dilma.
 
A ex-presidente acredita que Eduardo Cunha decidiu receber seu pedido de impeachment, em dezembro de 2015, como retaliação por não ter obtido apoio do PT para evitar a sua cassação na Câmara.
Ataque. Dilma afirmou que impediu Moreira Franco de “roubar” em seu governo. O ministro, apelidado de “Gato Angorá” na lista da Odebrecht, disse que acusações da petista são infundadas.


O TEMPO
Comentários: