Folha do ES
Qua, 8 de Abr
HECI Páscoa

.Home     Colunistas     Luanna Figueira

A INFLUÊNCIA DAS REDES SOCIAIS NAS RELAÇÕES DE TRABALHO


Luanna Figueira

Luanna Figueira

Advogada, OAB/ES 27.683. Graduada emDireito pelo Centro Universitário São Camilo (2012). Pós-Graduada em Direito e Processo do Trabalho pelo Complexo Educacional Damásio de Jesus, com ênfase em didática no ensino superior (2014). Pós-Graduada em Filosofia e Psicanálise pela Universidade Federal do Espírito Santo (2017/2019). Ver todos os artigos

  11.fevereiro.2020

É perceptível que a sociedade e a tecnologia caminham lado a lado. Reflexos da primeira são observados na segunda e vice e versa. Imagem clara disto é facilmente observada através das últimas eleições, onde as redes sociais (facebook, twitter, instagram, wathsapp, etc.) assumiram papel de destaque e de grande repercussão.

Não por menos, as redes sociais, também assumiram esse papel nas relações interpessoais, inclusive, nas relações de trabalho. O atual ambiente de trabalho difere bastante daquele que propiciou o surgimento das normas trabalhistas, idealizadas para pacificar as questões jurídicas decorrentes da sociedade agrária e fabril. Naquela época, o trabalho era, necessariamente, prestado de forma presencial, envolvendo três questões principais: remuneração, horário e ambiente de trabalho, situação essa completamente distinta dos dias atuais, que é comumente realizado em um ambiente automatizado e globalizado.

O ambiente laboral é tomado de novas tecnologias de comunicação e informação sem qualquer tipo de fronteira, utilizando-se do uso de computadores pessoal e corporativo permitindo a utilização corriqueira da internet e dos seus aplicativos, como o correio eletrônico e as redes sociais, que constituem meios ágeis e eficientes de comunicação e relacionamento social laboral.

Nesse cenário, surgem novas problemáticas, proporcionadas pela influência cada vez maior das redes sociais nas relações de trabalho, especialmente no que tange a possibilidade da rescisão do contrato de trabalho do empregado por justo motivo pela divulgação ou prática de ato lesivo ou contrário às normas internas da empresa em rede social.

Com o avanço das tecnologias digitais, o acesso das pessoas à informação teve um aumento significativo, o mesmo ocorrendo com a facilidade delas em expressar suas opiniões. Neste contexto é que surgiram as conhecidas redes sociais. Ao tratar sobre a relação entre empregador e empregado e o uso da Internet no ambiente de trabalho, Rocha (2005, p. 169) faz a seguinte observação:

Extrai-se das informações obtidas pelos meios de comunicação, inclusive da própria internet, revelações de usos mais absurdos, que vão desde a pornografia até os negócios pessoais, passando pelos bate-papos, piadinhas, notícias dos sindicatos, convites para reuniões, divulgação de poesias, receitas culinárias, temas de espiritualismo, comunicações de aniversários, nascimentos, casamentos e falecimentos, dentre outros.

Com o surgimento das mídias sociais, os principais problemas por parte do empregado com o uso exagerado dessas ferramentas de comunicação é a falta de concentração no trabalho, rendimento abaixo do esperado, conversas paralelas distantes da relação profissional e, eventual manifestação contrária às condutas de quem está em um ambiente de trabalho. Como consequências para o trabalhador, várias são as medidas que podem eventualmente serem adotadas. Sendo elas: a advertência, suspensão ou em casos mais graves a rescisão do contrato de trabalho por justa causa.

Assim, ficou evidenciado que as relações trabalhistas vêm sofrendo influências dos avanços das mídias sociais, pois a tecnologia tem causado grandes revoluções no mundo jurídico. Em particular, no âmbito do trabalho. A utilização das redes sociais tem dado um amplo e rápido acesso as informações e a rotina particular de cada trabalhador, o que levanta questões principalmente sobre intimidade e liberdade de expressão.

Conclui-se que é preciso que haja uma cooperação entre os atores da relação empregatícia, para que as novas tecnologias não configurem uma ferramenta de desunião, litígios e impasses, mas um instrumento de crescimento, interação positiva e motivação uma vez que ao longo das décadas, a utilização das redes sociais, influencia diretamente no Direito do Trabalho, pois a ciência do Direito em si se desenvolve e é moldada de acordo com o momento social em que se aplica.

Comentários Facebook


Enquete


Em qual desses candidatos você votaria para Presidente da República em 2022?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.