Folha do ES
Qua, 8 de Abr
HECI Páscoa

Home   Política     Brasil


Vidigal defende medidas para amenizar os impactos do viaduto de Amarelos, em Guarapari

Vidigal defende medidas para amenizar os impactos do viaduto de Amarelos, em Guarapari

  Por Redação

  08.fevereiro.2020 às 09:19

O deputado federal Sérgio Vidigal (PDT-ES) participou, nesta sexta-feira (7), de mesa redonda para avaliar os impactos causados devido à construção do viaduto de Amarelos, em consequência da duplicação da BR-101.

Na oportunidade, Sérgio Vidigal fez o compromisso de fazer os encaminhamentos necessários para achar soluções que sejam boas para todos, tanto pedestres como motoristas e que seja também de forma sustentável.

"Vamos acompanhar, junto aos órgãos responsáveis os desdobramentos que atendam a todos da melhor forma", disse Vidigal, autor do requerimento de realização da mesa.

O encontro contou com grande participação popular, que apresentou colocações, como por exemplo, a que após a construção do viaduto nas imediações da praça do pedágio, os moradores serão obrigados a passar pela praça para fazer o percurso de ida e retorno.

Vale ressaltar que algumas demandas já foram atendidas como a implantação do contorno e a construção do viaduto, atendendo as comunidades de Reta Grande e Rio Grande.

O debate foi coordenado pelo deputado federal Ted Conti (PSB).

Também participaram do evento o deputado federal Evair de Melo (PP), o vereador, Marcos Grijó (PDT), o diretor-superintendente no Espírito Santo da Eco101, Carlos Eduardo Auchewski Xisto, o representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) do ES, Halpher Luiggi, o representante da Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Estado, Eduardo Soares, a secretária municipal de Meio Ambiente de Guarapari, Thereza Crhistina Hassen, o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Guarapari (Sindicig), Fernando Otávio, o secretário de Turismo, Gedson Merizio, e dezenas de moradores de Amarelos e região.

ANTT

Halpher Luiggi lembrou que o contrato da BR-101 foi assinado em 2013, mas os estudos começaram em 1997. Então, todas as questões que foram levadas à mesa redonda, serão analisadas pela ANTT.

"Então, é relevante que a gente conheça um pouco de como isso aconteceu, o que é o contrato, como a gente pode avançar ou não nas soluções de eventuais problemas e discutir a mudança de comportamento da comunidade na rodovia.

Reivindicações Porta-voz da população, o vereador Marcos Grijó entregou um documento contendo reivindicações das comunidades. São elas:

  • Avaliação de construção de via paralela para atender aos moradores de Rancho Liberdade até o retorno que já existe;
  • Retomar os pontos de ônibus para os locais de origem que já existiam antes do início da duplicação, com baias de recuo para o acesso ao transporte coletivo e escolar;
  • Instalação de passarela em Amarelos para pedestres a fim de garantir a segurança na travessia da pista;
  • Avaliação da construção de um retorno na comunidade de Iguape, onde a rotatória irá auxiliar no acesso a Rota de Turismo da Região Norte e também irá atender ao agroturismo, pousadas, cavalgadas, festas de comunidades e campeonatos rurais, e ainda promover o acesso às comunidades quilombolas.
  • Em Samambaia (local que possui escola municipal que atende todas as comunidades do entorno, com aproximadamente 220 alunos) manter a entrada da comunidade com recuo de baia para pontos de ônibus nos dois sentidos da pista e promover a instalação de passarela para pedestres garantindo a segurança da travessia.

Fonte: folhadoes.com

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.