Folha do ES
Dom, 16 de Fev
Leia Pesquisa

.Home     Colunistas     Jackson Rangel Vieira

A Santa Casa e a Verdade


Jackson Rangel Vieira

Jackson Rangel Vieira

Jornalista. Criador do primeiro jornal diário impresso fora da Capital do Espírito Santo. Vanguardista no lançamento do primeiro site fora da Capital. Um dos primeiros do Estado em investir nas redes sociais, com cerca de 200 mil seguidores só no twitter. Defensor incondicional da liberdade de expressão.

Ver todos os artigos

  27.agosto.2019

A mentira vem antes, mas a verdade chega na frente. Os leitores acompanharam desde janeiro o médico Roberto Bastos mostrando o sucateamento da maternidade da Santa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Revelou a área da especialidade dele, ginecologista-obstetra. Nunca ninguém teve a coragem de mostrar o hospital de dentro para fora.

No primeiro momento, o médico foi criticado com a subida de tom na medida em que as mentiras foram sendo descortinadas, como o documento oficial da Secretaria Estadual da Saúde ressaltando a negligência de gestão que obrigou o Estado a entregar a maternidade ao Hospital Francisco de Assis (HIFA). Todo mundo achava que era uma simples transferência protocolar.

Está registrado em áudio, vídeo e escrito pela FOLHA o médico clamando por transparência financeira e administrativa da Santa Casa, com descrição de receita e despesas já que se trata de instituição filantrópica que recebe regularmente recursos públicos. Taparam os ouvidos, sociedade, Ministério Público e demais autoridades. Foi considerado um "louco" em mexer nessa caixa preta.

Roberto Bastos passou o ridículo ou não de ir para as ruas, praça pública, pedindo apoio à sociedade em favor da Santa Casa, defendendo a abertura da maternidade, mais moderna, sem precisar subtrair de todos os demais hospitais do Município que tem suas unidades como cartão portal da humanização na Saúde. Mulher e criança são prioridades. Foi uma verdadeira covardia enraizada nos bastidores de forma anômala.

Depois de 7 meses, desprestigiada, a Santa Casa de Cachoeiro-ES, por meio de seus representantes, correm de pires nas mãos aos pés dos políticos para se salvar de uma dívida anunciada de R$ 60 milhões junto à Caixa Econômica. Pois é! Ironia do destino. Quando para calar o médico, colegas e conselheiros do hospital ecoaram uma situação estável, saudável, que atendia com profissionalismo todo o sul do Estado. Era mentira também! Um médico desse Conselho alardeia, agora, que estão morrendo gente diante do caos instalado no nosocômio.

O médico solitário e não acreditando no que vivia a Santa Casa, com 30 anos de exercício pelo hospital, surtou. Com razão. Sem mais o que fazer, entre saber que estavam morrendo pessoas, principalmente crianças, levando em conta redução de leitos e a ferrugem da instalação, foi denunciando um a um. Foi corajoso! Não se escondeu em indiretas e nem ficou choramingando. Foi homem e médico defensor da vida.

Em síntese, por orgulho e sentimentos facciosos, poucos vão se render em humildade e proclamar gratidão ao médico pelo esperneio justo em defesa das mulheres. Natureza humana.

Ademais, A Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim-ES quer mais dinheiro público, certo? Então precisa ser transparente, com portal decente para toda a sociedade consultar. Recebido,pago e saldo. Simples! Porém nunca farão algo dessa normalidade, pois a sangria financeira pode ser até criminosa, com altos salários dos gestores, pagamentos a um grupo de médicos, discriminando outros. É um escândalo!

Comentários Facebook


Enquete


Qual será o grande hit do Carnaval 2020?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.