Folha do ES
Ter, 17 de Set
NOTA FISCAL SETEMBRO KENNEDY

.Home     Colunistas     Jackson Rangel Vieira

A Santa Casa e a Verdade


Jackson Rangel Vieira

Jackson Rangel Vieira

Jornalista, inscrito na OAB (21.212) e evangelista. Criador do primeiro jornal diário impresso fora da Capital do Espírito Santo. Vanguardista no lançamento do primeiro site fora da Capital. Blogueiro e um dos primeiros do Estado em investir nas redes sociais, com cerca de 200 mil seguidores só no twitter. Defensor incondicional da liberdade de expressão. Sem

Ver todos os artigos

  27.agosto.2019

A mentira vem antes, mas a verdade chega na frente. Os leitores acompanharam desde janeiro o médico Roberto Bastos mostrando o sucateamento da maternidade da Santa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Revelou a área da especialidade dele, ginecologista-obstetra. Nunca ninguém teve a coragem de mostrar o hospital de dentro para fora.

No primeiro momento, o médico foi criticado com a subida de tom na medida em que as mentiras foram sendo descortinadas, como o documento oficial da Secretaria Estadual da Saúde ressaltando a negligência de gestão que obrigou o Estado a entregar a maternidade ao Hospital Francisco de Assis (HIFA). Todo mundo achava que era uma simples transferência protocolar.

Está registrado em áudio, vídeo e escrito pela FOLHA o médico clamando por transparência financeira e administrativa da Santa Casa, com descrição de receita e despesas já que se trata de instituição filantrópica que recebe regularmente recursos públicos. Taparam os ouvidos, sociedade, Ministério Público e demais autoridades. Foi considerado um "louco" em mexer nessa caixa preta.

Roberto Bastos passou o ridículo ou não de ir para as ruas, praça pública, pedindo apoio à sociedade em favor da Santa Casa, defendendo a abertura da maternidade, mais moderna, sem precisar subtrair de todos os demais hospitais do Município que tem suas unidades como cartão portal da humanização na Saúde. Mulher e criança são prioridades. Foi uma verdadeira covardia enraizada nos bastidores de forma anômala.

Depois de 7 meses, desprestigiada, a Santa Casa de Cachoeiro-ES, por meio de seus representantes, correm de pires nas mãos aos pés dos políticos para se salvar de uma dívida anunciada de R$ 60 milhões junto à Caixa Econômica. Pois é! Ironia do destino. Quando para calar o médico, colegas e conselheiros do hospital ecoaram uma situação estável, saudável, que atendia com profissionalismo todo o sul do Estado. Era mentira também! Um médico desse Conselho alardeia, agora, que estão morrendo gente diante do caos instalado no nosocômio.

O médico solitário e não acreditando no que vivia a Santa Casa, com 30 anos de exercício pelo hospital, surtou. Com razão. Sem mais o que fazer, entre saber que estavam morrendo pessoas, principalmente crianças, levando em conta redução de leitos e a ferrugem da instalação, foi denunciando um a um. Foi corajoso! Não se escondeu em indiretas e nem ficou choramingando. Foi homem e médico defensor da vida.

Em síntese, por orgulho e sentimentos facciosos, poucos vão se render em humildade e proclamar gratidão ao médico pelo esperneio justo em defesa das mulheres. Natureza humana.

Ademais, A Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim-ES quer mais dinheiro público, certo? Então precisa ser transparente, com portal decente para toda a sociedade consultar. Recebido,pago e saldo. Simples! Porém nunca farão algo dessa normalidade, pois a sangria financeira pode ser até criminosa, com altos salários dos gestores, pagamentos a um grupo de médicos, discriminando outros. É um escândalo!

Comentários Facebook


Enquete


Qual destes aplicativos você mais usa diariamente?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2019 Folha do ES. Todos os direitos reservados.