São 4h55 da madrugada do dia 10 de fevereiro. Nos meus 40 anos de jornalismo lutando contra injustiças de toda ordem com indignação que me é peculiar, concluo que o sistema de controle da sociedade na vastidão da humanidade está possuída por legiões de demônios.

A estratégia de ataque aos seres humanos que nascem bons e se transformam monstruosos é a de produzir lavagem cerebral com dinheiro e poder, deformando caráter e extirpando quaisquer indícios de benignidade. Essa possessão se expressa com sinais, aparentemente, normais: manipulação do livre arbítrio.

Têm pessoas ao sol do dia falando sozinhas. Outras entram no espiral da depressão e não conseguem sair nunca mais. Gente religiosos caçando semelhantes para hierarquizar virtudes em expansão destrutiva. A vida está cheia de gatilhos, um campo de minas explosivas. O bem não está vencendo o mal. Difícil de escrever isto.

As doenças mentais somadas com ações cruéis formam um ciclo de malignidade sem precedentes. Agentes desses sepulcros estão em posições privilegiadas, ditadores e vassalos com a mesma essência de aniquilar os valores nobres um dia conhecidos pelos primitivos homens e mulheres na alegria de gerar famílias e clãs sob as ordens de Deus.

No momento, está tudo fora de controle. Lembra um pouco o filme “Iluminado” em que a loucura vai se estabelecendo aos poucos até remontar o coliseu da tragédia sob aplausos dos seus principados.