Folha do ES
Seg, 14 de Jun
Gif Folha do ES

.Home     Colunistas     Usiel Carneiro de Souza

Pecadores santos


Usiel Carneiro de Souza

Usiel Carneiro de Souza

Usiel Carneiro de Souza Teólogo e Administrador de Empresas

Ver todos os artigos

  13.maio.2021

Talvez possamos dizer que não exista atitude mais apropriada, mais coerente com a nossa fé, mais coerente com a certeza de que fomos encontrados por Deus, de que por meio de Cristo fomos feitos filhos de Deus, do que a consciência de que somos pecadores. Ela é o ponto de partida de nossa vida cristã. Ninguém se torna um cristão sem colocar os pés no terreno de sua própria condição espiritual. E é preciso fazer isso em companhia de Jesus, conduzido por Ele, como aconteceu com Pedro. Sozinhos a consciência de que somos pecadores acaba significando muito pouco. Mas na companhia de Jesus, não. O que quero dizer é que, quando nos vemos diante do amor de Deus, da graça de Deus, de Sua grandeza e santidade, tudo junto… quando, um pouco que seja, percebemos o quanto Deus está próximo, Seu cuidado e interesse por nós, e ao mesmo tempo olhamos para nossos pés cheios da lama de nossos pecados sujando o piso cristalino de Sua presença, o impacto é transformador.

Foi o que Pedro viu. E temeu. Isaías também. Eles estavam acostumados com seus pecados. O que não estavam acostumados era com a proximidade de Deus. Ambos receberam como resposta ao seu espanto, “não tenha medo”. Ambos tiveram suas vidas encaminhadas para mudanças. Essa é a experiência característica da fé cristã. É desse lugar que perceberemos a grandeza da graça e começamos a entender o que seja de fato a vida. E então começamos a concordar mais com Deus e discordar mais e nós mesmos. Começamos a sentir saudade de uma vida que ainda não começamos a viver, por causa do amor que Deus revela ter por nós. A cena é interessante: Deus Santo e um pecador; solo santo de Sua presença marcados pela lama de de nossos pés pecadores. Essa é a única maneira desse encontro acontecer. Pode parecer estranho, mas o segredo dos homens e mulheres que chamamos de santos tinha a ver com uma profunda consciência da própria pecaminosidade. Pois, quanto mais crescemos em santidade, mas claramente percebemos o quanto somos pecadores.

É possível que as cartas de Paulo a Timóteo estejam entre as últimas que teria escrito. E é justamente numa delas que o apóstolo, dono de cicatrizes profundas por sua dedicação ao Evangelho, tendo experimentado embates, revelação, milagres e muito trabalho na obediência a Cristo, que ele declara: Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal (1 Tm 1.15). O efeito dessa consciência é nos fazer humildes, dependentes e vigilantes. Por isso ela nos faz santos. Deus não oferta Seu poder, senão aos que se veem fracos. O Seu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Para os suficientes, para os que se consideram dignos, a graça não basta, A confiança deles está na competência que julgam ter para a vida. Mas para aqueles que não conseguem livrar-se dos próprios espinhos, a graça basta. Você é pecador? Você tem consciência disso? Você se compadece de pecadores? Então você reúne as condições ideais para ser santificado e assim, com mais clareza, ver a Deus e a si mesmo! Pois é disso, da consciência de que há pecado em nós, que depende a santidade dos pecadores.

Comentários Facebook


Enquete


Você é contra ou a favor da volta às aulas presenciais neste momento?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.