O governo brasileiro busca evitar a falta de arroz devido às enchentes no Rio Grande do Sul. A Camex aprovou a proposta de zerar a tarifa de importação de três tipos de arroz, visando garantir o abastecimento no país. O Estado é responsável por 70% da produção nacional, e a medida busca evitar que a oferta seja comprometida. O Ministério da Agricultura e Pecuária e a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) solicitaram a redução do imposto sobre o arroz devido à calamidade no estado gaúcho. O governo autorizou a importação de até 1 milhão de toneladas para amenizar as consequências econômicas das enchentes. A medida é excepcional e válida apenas para este ano (em vigor até 31 de dezembro), podendo ser prorrogada se necessário.

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços monitorará a situação no Rio Grande do Sul para avaliar a possibilidade de extensão do período de vigência. A maior parte das importações de arroz no Brasil vem do Mercosul, mas há potencial para importação de outros países, como a Tailândia. O presidente da Federarroz, Alexandre Velho, afirmou que as enchentes no RS não afetarão o abastecimento no Brasil. Segundo ele, o Estado já colheu 84% da safra com bons níveis de produtividade. As estradas interditadas foram uma dificuldade, mas, teoricamente, foram solucionadas com a criação de rotas alternativas para garantir o abastecimento nos grandes centros consumidores.

 

Publicada por Felipe Cerqueira