Um interno que cumpria pena em regime fechado na Penitenciária Estadual de Vila Velha 3, no Complexo de Xuri, morreu após ingerir plástico e papel, na quarta-feira (28). Ele deu entrada no sistema penitenciário em 15 de maio de 2020, por tráfico de drogas. A morte foi confirmada pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus)  nesta quinta-feira (29). 

O interno atuava em uma fábrica de sapatos instalada dentro na unidade prisional. A Sejus explicou que o material ingerido por ele foi utilizado para produção de um jogo de baralho artesanal feito com matéria-prima usada para embalar calçados. Ao retornar para a cela, ele passou mal durante o procedimento de revista, expelindo alguns objetos ingeridos.

A Sejus enfatizou que nenhum entorpecente foi encontrado com o interno. Após passar mal, ele foi socorrido por policiais penais para a Unidade de Saúde do Sistema Prisional (USSP), em Viana, onde foi identificado que o mesmo havia ingerido materiais como plástico e papel.

A equipe de saúde da unidade realizou os procedimentos para atendimento do detento, mas ele não resistiu e morreu na quarta-feira (28).