O homem acusado de matar e atear fogo na mulher e nos filhos em Castelo, no Sul do Espírito Santo, foi condenado a 108 anos e 10 meses de prisão. De acordo com as investigações, Fabiano Alves estava sob efeito de álcool e cocaína e agrediu até a morte sua companheira de 41 anos e seus três filhos, um rapaz, uma adolescente e uma criança. O crime ocorreu em 10 de dezembro de 2022.

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) divulgou as informações na tarde desta segunda-feira (10)

Fabiano foi condenado pelo homicídio qualificado da companheira e de três filhos, sendo um deles uma criança de 8 anos, e cumprirá a pena inicialmente em regime fechado. Ele já estava detido preventivamente desde que foi localizado após o crime.

“O Promotor de Justiça Luis Felipe Simão, que esteve presente no Tribunal do Júri, nesta segunda-feira, 10 de junho de 2024, em Castelo, considerou que a pena que ultrapassou os 100 anos de prisão foi compatível com o crime bárbaro cometido contra quatro pessoas da mesma família”, disse o MPES, por meio de uma nota.

Em 10 de dezembro de 2022, o Corpo de Bombeiros foi chamado para conter o incêndio em uma residência localizada em Aracuí, na zona rural de Castelo.

Os militares informaram que precisaram arrombar a porta para entrar na residência. Ao chegarem ao local, encontraram os corpos das vítimas.

Cada uma das vítimas estava em um local diferente da residência. Parte do telhado da residência, que fica na localidade de Aracuí, em Castelo, caiu. Os nomes das vítimas não foram revelados pelos bombeiros.

Os bombeiros, inicialmente, disseram que não foi possível identificar a dinâmica do incêndio. Entretanto, a polícia prendeu Fabiano Alves no dia seguinte devido à suspeita de envolvimento no crime. O indivíduo negava.

Na época da prisão, Fabiano disse à polícia que, quando chegou em casa no sábado pela manhã, os familiares já estavam mortos e a residência estava queimada. Ele acrescentou que apenas conseguiu pegar o telefone da esposa e fugir do local.