Folha do ES
Dom, 25 de Jul
Receitas

Home   Economia     Brasil


"Taxar fortunas reduz desigualdade, mas empobrece ricos", diz dono da Riachuelo

"Taxar fortunas reduz desigualdade, mas empobrece ricos", diz dono da Riachuelo

Na opinião do executivo, taxar fortunas reduziria a desigualdade, mas empobreceria os ricos

  Por Raphael Gomes

  20.julho.2021 às 17:20Atualizado em 20.julho.2021 às 17:23

O empresário Flavio Rocha, dono da Riachuelo, afirmou ser contra a taxação de grandes fortunas no Brasil. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o executivo insistiu na ideia da desoneração na folha salarial para solucionar a questão tributária.

  • O empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo, se manifestou contrário à taxação de grandes fortunas

  • Na opinião do executivo, taxar fortunas reduziria a desigualdade, mas empobreceria os ricos

  • Rocha insistiu na desoneração da folha salarial para solucionar a questão tributária

"Queremos lutar contra a desigualdade ou contra a pobreza? Esse imposto consegue reduzir desigualdade, mas pela via não inteligente: expulsando ou empobrecendo os ricos", analisou.

Satisfeito com os acenos do governo na reforma tributária, Flávio Rocha chamou a tributação da folha de salário de "imposto do desemprego".

"O Brasil está nas maiores cargas tributárias do mundo da economia formal, porque quando você considera essa carga média de 35% que não incide sobre os 100% da economia, mas só sobre o Brasil formal, o tributável, você vai ver que está extraindo do tributável algo próximo dos 50%, coisa que não tem paralelo no mundo", disse o executivo.

O dono da Riachuelo justificou ser contra a taxação de grandes fortunas classificando como "desastrosa" a política semelhante adotada pela França durante o governo de François Hollande.

"Na França, todo mundo mudou para a Bélgica, para a Inglaterra. E o mundo está cada vez mais digital. Você pode exercer a mesma função remotamente. As pessoas estão com mais mobilidade. A redução de imposto de renda gera mais investimento, aumento da demanda por mão de obra e, aí sim, resolve a desigualdade pela via inteligente, que é gerando renda para a base da pirâmide. Se desigualdade fosse o problema, tinha que dar um troféu para a Venezuela, que expulsou as fortunas para Miami ou quebrou quem insistiu em ficar", afirmou.


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.