Folha do ES
Dom, 25 de Jul
Receitas

Home   Esporte     Brasil


Análise: Estreia do Brasil na Copa América foi ótima

Análise: Estreia do Brasil na Copa América foi ótima

Seleção foi melhor durante todo o jogo contra a Venezuela, finalizou cinco vezes mais e poderia ter saído com um placar ainda mais elástico do que o 3 a 0 a favor

  Por Raphael Gomes de Souza

  14.junho.2021 às 09:54Atualizado em 14.junho.2021 às 09:57

A vitória da Seleção Brasileira por 3 a 0 sobre a Venezuela na abertura da Copa América, no último domingo (12) foi tranquila até demais. Com 62% de posse de bola e cinco vezes mais finalizações que os adversários, a impressão dada pela equipe treinada por Tite é que uma goleada era b em acessível, mas não aconteceu e ficamos no placar clássico – muito graças ao gol de Gabigol próximo aos acréscimos do segundo tempo.

A Seleção Venezuelana em momento algum quis sair para o jogo e se arriscar, ainda que minimamente, o Brasil. Os brasileiros, por sua vez, tinham a bola e dois atacantes inspirados, querendo o jogo a todo tempo: Neymar e Richarlison. Vale ressaltar, inclusive, que o Menino Ney assumiu o protagonismo que lhe é esperado, buscando jogo, indo para cima dos adversários, distribuindo a bola para os companheiros, e participou diretamente dos dois primeiros tentos da Seleção, em Brasília, cobrando o escanteio que resultou no primeiro gol brasileiro, ainda na etapa inicial, e depois convertendo um pênalti sofrido por Danilo, já no segundo tempo.

É difícil falar sobre melhorias e um time que venceu por 3 a 0, não tomou sustos e foi amplamente superior, mas acredito que dá para a Seleção Brasileira pode colocar o pé mais na força e melhorar o seu poder de definição, já que quando enfrentar um adversário mais qualificado perder muitos gols pode ser letal.


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.