Folha do ES
Seg, 28 de Nov

Home   Estilo     Curiosidade


Mapa do prazer da vagina: um guia para conhecer e dar prazer para elas

Mapa do prazer da vagina: um guia para conhecer e dar prazer para elas

Ponto a ponto, a ginecologista Lilian Fiorelli mapeou o órgão sexual feminino. Descubra em quais partes focar para levar mulheres à loucura

  Por Redação

  09.agosto.2022 às 14:41Atualizado em 09.agosto.2022 às 15:58

Inveja do pênis? Os adeptos da teoria psicanalítica freudiana que nos desculpem, mas com um órgão permeado por oito mil terminações nervosas voltadas única e exclusivamente ao prazer feminino, fica difícil aceitar a ideia de que nos falta algo— ao menos ao que tange à satisfação sexual.,

Embora o assunto seja mais profundo e acenda um debate de décadas que divide opiniões, a Pouca Vergonha resolveu mapear as áreas de prazer dos órgãos voltados ao sexo.

Neste primeiro guia, podemos encontrar tudo que precisamos saber para dar prazer a todas as pessoas com vulva. Spoiler: em breve, vamos publicar o guia do mapa do prazer do pênis, e por fim, um mapa de zonas erógenas. Afinal, reduzir o prazer sexual às regiões íntimas é deixar de fora da transa pontos orgásticos importantes.

Comece do começo

Antes de ir direto para a vulva (que é a parte externa da vagina), a uroginecologista Lilian Fiorelli, da plataforma Sexo sem Dúvida, ressalta algumas informações importantes: “O toque no corpo para despertar toda a região erógena e ir provocando excitação é mais importante do que ir direto à vulva”.

Para começar, então, explore o corpo de várias formas, inclusive com palavras calientes ao pé do ouvido. Aproveite para percorrer o corpo todo até chegar na vagina. Use as mãos, brinquedos e a língua para promover toques suaves, leves mordidas e beijos.

No meio do caminho

Antes de chegar lá, existem várias partes que promovem muito tesão, como mamilos, pescoço, bumbum, parte interna da coxa e atrás do joelho. Vale ir explorando da maneira que quiser cada uma dessas “paradas” no meio do caminho.

A vulva O alerta da especialista aqui é sobre dar atenção a cada parte externa da vagina, como clitóris, pequenos lábios, hímen, grandes lábios e, por fim, o canal vaginal.

“O homem tem o pênis, órgão que serve para reproduzir, urinar e trazer prazer sexual. Já a mulher tem cada coisa em seu lugar. O clitóris, por exemplo, é feito única e exclusivamente para o prazer, com oito mil terminações nervosas. A título de comparação, o pênis tem apenas três mil”, esclarece Lilian.

Clitóris Aquele órgão pequeno que fica localizado na região superior, na vulva. “E não é apenas essa pontinha que vemos. O clitóris emite terminações nervosas ao longo da vagina de três a cinco centímetros para dentro, o famoso ponto G”, aponta a especialista.

Vale ressaltar que diversos estudos já tentaram identificar a localização exata desse ponto, mas sem sucesso. “O que sabemos é que ele é um ponto de maior sensibilidade aí nessa região e tem entre três e cinco centímetros”, explica.

Prepúcio do clitóris Aquela pele que cobre o clitóris, bem em cima, que também é cheia de sensações e prazer quando estimulada com delicadeza.

Dica: nada de movimentos bruscos ou sem lubrificação. Vá com carinho.

Pequenos lábios Ali, nas laterais do clitóris, já começam os pequenos lábios, que são extremamente sensíveis. “Precisam ser tocados com mais cuidado. Não dá para ir com sede ao pote, precisa de lubrificação adequada”, orienta Lilian.

Hímen Sim, ele ainda existe, mesmo que já tenha sido rompido, e fica localizado na portinha da vagina. “Ele vai seguir com você a vida toda, mesmo após o rompimento, e é uma região sensível e gostosa de estimular”, explica a especialista.

Região perianal A região entre o ânus e o canal vaginal também é muito sensível e deve ser explorada com muita lubrificação.

Atenção: “Por ser uma região próxima ao ânus, é preciso cuidado redobrado com a higiene. Nunca estimule a vagina após tocar o ânus”, alerta a profissional.

Canal vaginal Por fim, temos o canal vaginal, que é o orifício para a penetração. “Ele é curiosamente menos sensível que as demais regiões da vulva. O canal vaginal precisa de muita lubrificação e, após os primeiros cinco centímetros de profundidade, já não tem sensibilidade tão fina. Embora seja gostoso, é diferente de um toque direto na pele”, esclarece.

Estimule

Após explorar cada parte do mapa do prazer feminino, vale ressaltar que temos terminações nervosas que excitam na vulva inteira. “Quanto mais as regiões são exploradas, mais a excitação aumenta”, finaliza a médica.

Lembre-se de usar lubrificante, manter a higiene, garantir a proteção e abusar da criatividade. Alternar toques, vibradores, mãos e línguas ainda é válido para sentir prazer em toda parte.


Fonte: Metrópoles

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.