Folha do ES
Qui, 2 de Abr

Home     Estilo


O que os donos devem fazer quando o cão mostrar ter medo dos fogos de artifício?

O que os donos devem fazer quando o cão mostrar ter medo dos fogos de artifício?

Deixar o animal trancado e sozinho não é uma opção, mas pagá-lo no colo de forma forçada também não é indicado

  Por Redação

  31.dezembro.2019 às 18:09

Muitas pessoas ainda gostam de usar fogos de artifício para comemorar a passagem de ano. Por mais que eles sejam bonitos e uma forma de confraternização, para os animais de estimação o barulho que os fogos produzem pode causar agitação, estresse e até acidentes fatais aos peludos, que são muito mais sensíveis aos barulhos do que os humanos.

Por isso, se o dono mora ou vai levar o pet para um local que tenha queima de fogos, é sempre bom saber como agir se o animal tiver medo e começar a se desesperar. Jorge Morais, médico veterinário fundador da rede Animal Place, explica o que fazer nesses momentos de tensão, já que nessa altura o adestramento já não será tão eficiente. Confira.

  1. Deixe que o animal de estimação fique no cômodo da casa que tenha menor ruído, e em segurança;
  2. Não deixe o cão ou gato preso em correntes ou caixas de transporte. Na hora dos fogos de artifício eles podem entrar em pânico e se machucar;
  3. Mantenha portas e janelas trancadas, evitando que o animal fuja e até mesmo se perca. Se morar em apartamento, verifique se as telas de proteção estão firmes;
  4. Tape os ouvidos do animal com um chumaço de algodão parafinado (hidrófobo). Não se esqueça de retirá-los assim que o barulho cessar, já que podem causar infecções caso fiquem por muito tempo;
  5. Existe uma técnica chamada de TTouch, que consiste em atar o cão com um pano para que a circulação sanguínea do corpo do animal seja estimulada, diminuindo assim, as tensões e a irritabilidade. Informe-se com seu veterinário;
  6. Não pegue o animal no colo à força para tentar confortá-lo, muito menos tente tirá-lo do lugar onde ele se escondeu;
  7. Nunca deixe o pet sozinho nesses momentos. A companhia do dono ajuda a passar mais segurança e amenizar esses momentos ruins.

Além disso, o veterinário lembra que “O uso de medicamentos e coadjuvantes terapêuticos , como os florais, podem ajudar a aliviar o estresse, mas é necessária uma consulta com um profissional especializado que ajudará a identificar o melhor tratamento para cada animal.”

O adestrador André Almeida também dá algumas dicas; veja vídeo.


Fonte: Canal do Pet - iG

Comentários Facebook


Enquete


Em qual desses candidatos você votaria para Presidente da República em 2022?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.