Folha do ES
Ter, 29 de Set

Home   Geral     Espírito Santo


Mulher é expulsa do Paulo Pereira por reclamar de demora para atendimento

Mulher é expulsa do Paulo Pereira por reclamar de demora para atendimento

O fato ocorreu no Pronto Atendimento do Paulo Pereira Gomes, que fica localizado no bairro Baiminas, em Cachoeiro de Itapemirim

  Por Redação

  11.fevereiro.2020 às 15:45Atualizado em 11.fevereiro.2020 às 16:05

Na noite de segunda-feira (11) uma mulher que havia levado sua mãe que passava mal para receber atendimento médico, acabou se revoltando com a demora. Conforme a mulher, haviam dois médicos de plantão na unidade, sendo que um deles estava dormindo, e o outro conversava na parte interna do local, com um paciente em atendimento e funcionários da unidade de saúde, enquanto na recepção os demais passavam mal, inclusive uma mulher precisava ser abanada pelos seus acompanhantes, sem que nenhuma medida fosse tomada.

Revoltada com o ocorrido, a mulher adentrou mesmo sem autorização no ambulatório, onde reclamou diretamente com o médico e viu a cena dele conversando com os demais funcionários do local.

Segundo ela, sua atitude, aparentemente, resolveu o problema da demora no atendimento aos doentes, porém, ela acabou sendo colocada para fora do Paulo Pereira Gomes pelo segurança do local.

O resultado, é que sua mãe que necessitava de atendimento médico, acabou não sendo atendida, pois também ficou indignada com a atitude do segurança que colocou sua filha para fora do local, e a acompanhou.

Mais tarde, a mulher que é moradora do bairro Baiminas, em Cachoeiro de Itapemirim, se manifestou nas redes sociais sobre o ocorrido e se disse indignada com o ocorrido, além da falta de atenção que pessoa doente recebe naquela unidade de saúde.

“É inadmissível você chegar num lugar para receber acompanhamento médico e passar por um descaso desses. No Paulo Pereira tem dois médicos de plantão, e somente estava atendendo e mesmo assim, sem dá prioridade aos pacientes, enquanto o outro dormia. Isso é simplesmente vergonhoso”, afirmou a mulher.

A reportagem tentou contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim, para esclarecer o ocorrido, mas até o fechamento da reportagem não obteve retorno.


Fonte: dahoraes

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.