Folha do ES
Ter, 29 de Set

Home   Geral     Mundo


'Se encontrá-las, corra e nos chame!' Cientistas alertam para chegada de ‘vespas assassinas’.

'Se encontrá-las, corra e nos chame!' Cientistas  alertam para chegada de ‘vespas assassinas’.

Cientistas nos EUA alertam para chegada de ‘vespas assassinas’

  Por João Paulo Rosa

  06.maio.2020 às 08:21Atualizado em 06.maio.2020 às 09:19

Responsáveis pela morte de, em média, 30 e 50 pessoas por ano no Japão (vítimas de múltiplas picadas dos insetos), as ‘vespas assassinas’ têm preocupado cada vez mais a vida dos americanos, que já recebem a visita desses animais mortais desde o ano passado (2019).

Acontece que as vespas gigantes asiáticas (Vespa mandarinia), que medem cerca de 5 cm, podem dizimar completamente uma colmeia de abelhas em pouquíssimas horas. Essas vespas são as maiores do mundo e liberam quantidade suficiente de toxina para matar uma pessoa em poucas horas, após sofrer algumas picadas desse inseto e mesmo que não seja uma pessoa alérgica.

A picada dessas vespas é descrita como extremamente dolorosa e seu ferrão pode até mesmo ultrapassar os trajes de proteção usados por apicultores pelo seu tamanho.

Porém, os humanos não são seus principais alvos, segundo a bióloga Jenni Cena, do Departamento de Agricultura do Estado de Washington, essas vespas só atacam humanos caso se sintam ameaçadas ou caso sejam incomodadas, mas ainda é importante que, casos sejam avistadas, pois sua presença pode ser devastadora, e seu impacto não afeta apenas na produção de mel, mas também nas diversas outras culturas que dependem da polinização, afirma.

O objetivo dos entomologistas é identificar essas vespas, localizar e destruir os seus ninhos enquanto a população desses insetos no EUA ainda é pequena e antes que elas se reproduzam até que seja impossível a erradicação.


Fonte: GLOBO

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.