Folha do ES
Dom, 25 de Jul
Receitas

Home   Judiciário     Espírito Santo


Procuradora assume ações de denúncia contra Casagrande no Escândalo das Tendas

Procuradora assume ações de denúncia contra Casagrande no Escândalo das Tendas

A procuradora-geral, Luciana Andrade, em abril, notificou a 3ª Promotoria Cívil de Vitória, chamando para si a responsabilidade de cuidar de quatro denúncias contra o governador do ES entre outros no caso do aluguel das tendas

  Por Redação

  20.junho.2021 às 10:11

A procuradora geral, Luciana Andrade, em abril, chamou atenção da 3ª Promotoria de Vitória por não ter cumprido protocolo normativo anterior de enviar ao seu auspício o procedimento aberto de investigação de nº 2020.0008.7701-54, exigindo a recomendação que já tinha atingido três ações do mesmo objeto: denúncia de superfaturamento de aluguel de tendas para o combate ao coronavírus em 2020, envolvendo o governador Renato Casagrande (PSB).

Luciana Andrade avocou todos os procedimento do mesmo objeto que envolvesse o governador do Espírito Santo sob o assentamento do Conselho do MP que autoriza a Procuradoria-Geral ter exclusiva jurisdição de cuidas de casos em que envolva o Chefe do Executivo Estadual. Segundo a procuradora, as denúncias foram oriundas de denúncias anônimas encaminhadas por ofício do Departamento da Polícia Federal.

"Cabe reiterar, nessa linha, que o Conselho Nacional do Ministério Público já sedimentou a possibilidade de avocação de procedimento sobre o qual deva incidir a atribuição originária da Procuradora-Geral de Justiça estipulada no artigo 129, III, da Constituição da República e artigo 29, VIII, da Lei 8.625/1993", assinalou a procuradora em ofício à 3ª Promotoria Cívil de Vitória, onde tramitavam as denúncias.

ESCÂNDALO

O caso em tela refere-se à locação de tendas no valor originário de mais de R$ 3 milhões, sem licitação, pela Secretaria Estadual da Saúde que após denúncia pela imprensa independente e deputados estaduais, o valor total caiu para R$ cerca de 400 mil. O secretário Nésio Fernandes alegou erro no edital.

As empresas de tendas envolvem um único proprietário informal em que orbitam agentes laranjas e atuam por meio de adesão à Ata de Registro de Preços gerada em qualquer lugar ou competindo entre si, atendendo ao mesmo interesse pecuniário.


ÍNTEGRA DA PORTARIA DA PROCURADORA - CLIQUE AQUI



Fonte: FOLHA DO ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.