Folha do ES
Sáb, 20 de Jul
FESTA NA ROÇA - HECI

Home   Polícia     Brasil


“Um monstro destruiu a vida dele”, diz pai de homem morto por sargento

“Um monstro destruiu a vida dele”, diz pai de homem morto por sargento

Francisco, 41 anos, foi assassinado nessa quarta (12/06/2019) por Juenil Queiroz, 56, militar reformado da FAB. Os familiares pedem justiça

  Por Redação

  14.junho.2019 às 17:20

“Nunca pensei que teria um filho tão humilhado, barbaramente assassinado por um cidadão que se diz um sargento da Aeronáutica”, revolta-se Francisco de Assis, 70 anos.

Ele é pai de Francisco de Assis Pereira da Silva (foto em destaque), 41, morto, na quarta-feira (12/06/2019), com dois tiros disparados por Juenil Bonfim de Queiroz, 56, em um apartamento no Cruzeiro Novo.

Após alvejar o rapaz, o militar reformado atirou três vezes contra a própria esposa, Francisca Naídde de Oliveira Queiroz, 58, que morreu na hora. O homem acusava as vítimas de terem um caso extraconjugal.

O pai do rapaz mora em Teresina, no Piauí, cidade natal da família, e onde aguarda a chegada do corpo para sepultamento, na tarde desta sexta-feira (14/06/2019). “A despedida que eu tenho do meu filho é profunda. Deixa um vazio tão grande no meu coração.”

“Ela já tinha pedido socorro”, diz amiga de mulher morta por sargento

A dor dele vem também da acusação imposta pelo assassino. Segundo familiares, Francisca era apenas amiga de Francisco. Sabendo que o rapaz estava sem emprego fixo, ela teria prontamente se oferecido a ajudá-lo financeiramente. A mulher seria também cliente do aplicativo em que ele trabalhava como motorista.

Considerada uma pessoa muito religiosa, Francisca tinha como característica gostar de cuidar das pessoas e ser uma espécie de “mãezona”. Ela e o marido conheceram Francisco e o companheiro dele, Marcelo Soares Brito, 40, há três anos, desde que se mudaram para o mesmo prédio. Os quatro se tornaram amigos, até as desconfianças de Juenil botarem fim às duas vidas.

“Só tenho a dizer que espero justiça em cima disso. De minha parte, está perdoado, mas ele [Juenil] precisa pagar pelo que fez: crime de feminicídio e tirou a vida do meu filho. Esse militar é um psicopata, um criminoso, alguém que precisa de tratamento”, declarou o pai.

Vídeo

O duplo homicídio foi gravado pela única testemunha ocular dos crimes. Em quase nove minutos de filmagem, a câmera do celular de Marcelo não capta imagens do momento dos crimes, mas é possível escutar toda a ação.

A sensação de terror é crescente até chegar à barbárie, quando o sargento da Força Aérea Brasileira (FAB), atira na cabeça de Francisco e contra a própria mulher.


Fonte: Metrópoles

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2019 Folha do ES. Todos os direitos reservados.