Folha do ES
Sex, 25 de Jun
Gif Folha do ES

Home   Polícia     Brasil


Mulher de baleado no Jacarezinho diz que ele se entregou, mas foi executado; polícia nega

Mulher de baleado no Jacarezinho diz que ele se entregou, mas foi executado; polícia nega

Familiares de mortos na comunidade fazem identificação de corpos no IML. Operação na quinta-feira deixou 25 mortos e é considerada a mais letal da história do RJ.

  Por Kimberlly Soares

  07.maio.2021 às 14:45

A mulher de um dos mortos no Jacarezinho disse que, ao ser localizado pela polícia, o marido, Rômulo Oliveira Lúcio, chegou a se entregar, mas ainda assim foi executado.

"Os policiais entraram dentro da casa e ele se rendeu. Ele [o policial] falou 'perdeu'. Ele já tinha se perdido. Só se rendeu. (...) Eles pegaram ele vivo e ele foi executado a facadas".

Thaynara Paes, de 22 anos, e outros familiares dos mortos, estão no Instituto Médico Legal na manhã desta sexta-feira (7) para fazer a identificação dos corpos.

A mulher de Rômulo conta que ele tinha 29 anos e estava na condicional. Mas, segundo a polícia, Rômulo e mais dois mortos na operação foram denunciados pelo Ministério Público e eram procurados por tráfico de drogas.

Além de Rômulo, Isaac Pinheiro de Oliveira e Richard Gabriel da Silva Ferreira também eram procurados.

Um perito Ministério Público do Rio (MPRJ) acompanha a perícia no IML. O órgão faz uma investigação independente sobre o caso.

A operação policial no Jacarezinho deixou 25 mortos, incluindo um policial civil. De acordo com a polícia, os outros 24 eram criminosos. Moradores relataram excessos e execuções, mas a polícia nega.

Segundo a direção do Souza Aguiar, dos 20 corpos que chegaram ao hospital, 13 ainda estão na unidade.


Fonte: G1

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.