Folha do ES
Qua, 29 de Jun

Home   Polícia     Espírito Santo


A verdade “obscura” por trás do caso "Jovem que teve a barriga aberta na praia” em Guarapari

A verdade “obscura” por trás do caso "Jovem que teve a barriga aberta na praia” em Guarapari

Segundo informações o jovem iria levar cocaína para a Europa em seu estômago , mas teria desistido, então sua namorada — que estava envolvida — juntamente com os “traficantes”. Retiraram a droga da barriga do jovem

  Por Redação

  19.maio.2022 às 10:02Atualizado em 28.maio.2022 às 12:50

O caso do jovem que teve a barriga cortada na Praia do Ermitão, em Guarapari, no Espírito Santo, ganhou as redes sociais com boatos e suposições sobre o que teria acontecido entre a noite de 15 de janeiro e a madrugada do dia 16.

A Folha do ES teve acesso a informações sobre o que realmente aconteceu. Mas a imprensa não disse ainda a verdade sobre esse nebuloso caso que intrigou a população por conta da animalidade realizada com o jovem, lembrando alguns casos do lendário serial killer Jack Estripador, pois seus crimes eram parecidos, embora suas vítimas fossem mulheres.

O que ninguém relatou, é que o jovem iria levar uma carga de cocaína pura — pasta base — avaliada em 35 mil dólares para a Europa. Ou seja, ele seria “mula” (pessoa que transporta droga dentro do corpo, engolindo ou introduzindo no ânus ou vagina). Mas acabou desistindo, e com isso sua namorada que é envolvida com os membros da facção criminosa atuante na cidade de Guarapari, simplesmente pegaram a droga de volta. Usando um método não muito convencional.

Segundo informações, muitas pessoas estão fazendo esse transporte arriscado para Europa com cocaína no estomago. Existe uma grande rede criminosa onde pessoas grandes como médicos, advogados e até policiais estão envolvidos. O tráfico internacional está forte no estado do Espírito Santo. Todos os dias entram e saem drogas no porto de Vitória e no aeroporto.

A polícia trabalha para apreender e prender os envolvidos e as droga, mas é preciso que todos façam sua parte e denunciem esses casos. Ligue 181 ou 190 para qualquer informação sobre esses tipos de casos.


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.