Folha do ES
Sáb, 6 de Mar

Home   Política     Denúncia


Escândalo: FOLHAES previu quem ganharia esquema de licitação do DETRAN-ES

Escândalo: FOLHAES previu quem ganharia esquema de licitação do DETRAN-ES

FOLHAES acertou com antecedência o esquema milionário de licitação que beneficiou as Empresas DAHUA-VELSIS.

  Por Jackson Rangel Vieira

  26.janeiro.2021 às 16:00Atualizado em 31.janeiro.2021 às 13:55

Na disputa do milionário cerco eletrônico estadual no DETRAN, o consórcio "Pedras Verdes", formado pelas empresas DAHUA-VELSIS, ficou em 2º lugar, com um lance de R$ 139 milhões de reais.

O certame ocorreu no dia 11 de janeiro de 2021, às 14h30, após o edital ser publicado novamente no período de natal e ano novo. Nesse período, as Instituições estão em recesso e as autoridades de férias.

O Governo do PSB não esperava que outro Consórcio de fora do seu esquema desse um desconto gigantesco, gerando a zebra na licitação direcionada.

O 1º colocado (Consórcio ITS Espírito Santo) deu um lance de R$ 118 milhões de reais, ou seja, R$ 21 milhões de reais a menos do que o Consórcio da DAHUA-VELSIS.

A FOLHAES denunciou com antecedência, no dia 10 de janeiro de 2021 (um dia antes da licitação) que o Consórcio das empresas DAHUA e VELSIS ganharia a disputa. Isso se comprovou. Impressionante!

+ VELSIS e DAHUA ganham amanhã licitação do cerco eletrônico no Governo do ES

Em manobra criminosa orquestrada pelo Governo do PSB, o Consórcio "Pedras Verdes" do esquema DAHUA-VELSIS entrou com uma denúncia pedindo a desclassificação do 1º colocado, o Consórcio "ITS Espírito Santo". O DETRAN acolheu na última sexta feira, dia 22 de janeiro de 2021, com a desclassificação do 1º colocado.

DESCLASSIFICAÇÃO



A tal "denúncia" foi feita em um momento de análise dos documentos do vencedor, totalmente fora do rito da licitação. Essa precipitação revela o desespero do Governo do PSB em perder seu esquema milionário. A preocupação deveria ser a qualidade dos serviços e o menor preço.

Veja o leitor que a diferença do 1º para o 2º colocado é de estrondosos R$ 21 milhões de reais. É um flagrante superfaturamento.

Um dinheiro do contribuinte que será torrado dos cofres públicos se o esquema palaciano com o Consórcio das Empresas DAHUA-VELSIS prosperar.

Mas a aberração jurídica espanta também no conteúdo da tal "denúncia": alegaram que o 1º colocado, o Consórcio "ITS Espírito Santo", formado por três empresas gigantes do setor, tem uma delas punida com pena de inidoneidade pela justiça do Distrito Federal.

Ocorre que quem foi punido não foi essa empresa de nome "Fiscal Tecnologia da Informação", até porque seu CNPJ está regular perante o TCU e órgãos de controle. A punição, na verdade, foi aplicada a um Consórcio do qual essa empresa participou, sendo a pena do juiz restrita ao CNPJ do referido Consórcio.

Isso significa que o DETRAN ampliou a extensão de uma pena sem o devido processo legal a um outro CNPJ, contrariando o próprio juiz do Distrito Federal que aplicou a inidoneidade.

* Veja a decisão mirabolante do DETRAN. CLIQUE AQUI

O processo já transitou em julgado (extinto) e o DETRAN simplesmente fez as vezes de juiz, estendendo a pena do CNPJ do Consórcio para o CNPJ da empresa "Fiscal", que aparece como regular nos órgãos.

A tal denúncia do Consórcio "Pedras Verdes" do esquema DAHUA-VELSIS contra o 1º colocado foi produzida após a empresa ROTA SINALIZAÇÃO VIÁRIA levantar um questionamento combinado.

A ROTA perguntou "hipoteticamente" se a pena de inidoneidade aplicada contra o um consórcio atingiria também o CNPJ das empresas que o integraram. O DETRAN respondeu que sim, "hipoteticamente falando". Um jogo combinado: a ROTA levantou a bola para o Consórcio "Pedras Verdes" cortar e entrar com a "denúncia".

Veja o questionamento da ROTA SINALIZAÇÃO:



É importante observar a conexão nessa trama: a empresa ROTA é intimamente ligada ao Secretário de Governo do PSB Tyago Hoffmann. Tanto que ela emprega seu amigo pessoal, o empresário Pernambuco Pablo Magalhães, do esquema "BARRIGA DE ALUGUEL" da ata de registro de preços de Caravelas/Bahia da empresa SAFELY (SAFELUX). Pablo também é do PSB e sua empresa "ganhou" a licitação da ata baiana.

Essa ata foi aderida por Hoffmann quando Secretário de Trânsito de Vitória (PMV) para instalar painéis de luz solar que hoje não funcionam e estão abandonados. Foram R$ 2.5 mi de dinheiro público torrados. E, pasmem, a ata foi produzida em licitação da Prefeitura de Caravelas/BA onde só participaram membros do PSB de Vitória/ES e empresas em nome deles.

Um escárnio, idêntico ao que está ocorrendo com a licitação do cerco eletrônico estadual.

Tyago Hoffmann sempre mostrou muito interesse nesse projeto, a ponto de sua Secretaria de Governo (SEG) ter criado uma "coordenação de inovação e tecnologia" para controlar essas licitações milionárias de "TI" (tecnologia de informação). Tentou lançar" consultas públicas" pela sua Secretaria, para definir as especificações das licitações, só que foi interrompido pela quantidade de denúncias de corrupção e direcionamentos.

Isso ocorreu ao final de 2019, com o próprio cerco eletrônico estadual, cuja licitação atrasou por mais de um ano. E que agora, publicado o edital novamente na véspera do natal e ano novo (data preferida do Governo do PSB para licitações controversas), o projeto do cerco estadual se afunda em mais uma polêmica de suposto direcionamento criminoso.

A FOLHAES entende que a licitação ficou viciada e deve ser anulada. Os interesses obscuros são maiores do que o interesse de executar o projeto com o menor preço.

Ou precisa desenhar para alguém do MP?


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.