Folha do ES
Sáb, 19 de Jun
Receitas

Home   Política     Denúncia


Deputado Bruno Lamas (PSB) expõe Promotor ao dizer que ele fez o edital direcionado

Deputado Bruno Lamas (PSB) expõe Promotor ao dizer que ele fez o edital direcionado

Lamas disse que o promotor de justiça do MP-ES, Rafael Calhau Bastos ajudou o governo a montar a licitação corrompida de R$ 139 mi do DETRAN.

  Por Jackson Rangel Vieira

  07.abril.2021 às 17:51Atualizado em 07.abril.2021 às 18:07

O deputado estadual Bruno Lamas (PSB)disse que o promotor de justiça do MP-ES, Rafael Calhau Bastos, ajudou o governo do ES a montar a licitação corrompida de R$ 139 mi do DETRAN. A fala de Bruno Lamas coloca o promotor de justiça em maus lençóis. Comprometedora.

Primeiro, porque o pen drive mostra claramente que o certame foi feito pela empresa Chinesa DAHUA, líder do Consórcio Vencedor "Pedras Verdes". Se com um promotor na mesa, o governo pega documentos prontos feitos pela DAHUA e só coloca seu timbre oficial, tem alguma coisa errada aí.

Segundo, porque a Constituição do país proíbe o Ministério Público de dar consultoria (artigo 129). Ou seja, o governo não pode ter assessoria de promotor, ainda mais para montar licitação direcionada. O MP fiscaliza o cumprimento das leis e da Constituição para defender sociedade.

Como membro da tropa de choque de Casagrande na Assembléia, o deputado Estadual Bruno Lamas errou feio ao desviar o foco do pen drive para colocar no promotor Rafael Calhau Bastos, afirmando ser ele co-autor da licitação direcionada.

Se falou isso pensando em maquiar as graves suspeitas do pen drive, acabou tapando o sol com a peneira, de forma infantil e perigosa, pois ainda acrescentou novo ingrediente explosivo ao escândalo: trouxe o promotor do MP para uma zona de dúvidas e questionamentos de sua atuação.

O pen drive tem provas inquestionáveis e irrefutáveis sobre a licitação "made in China". Seu conteúdo escandaloso já foi enviado por autoridades para o referido promotor de justiça 27ª promotoria de justiça cível do MP-ES, Rafael Calhau Bastos.

Ele vai ter que explicar se tomou bola nas costas ou se participou como consultor do governo e sócio da licitação direcionada, como quis fazer crer o deputado Bruno Lamas (PSB).

Essa licitação criminosa de R$ 139 milhões é um cartão de visitas do novo crime organizado ressurgindo no Espírito Santo, formada por agentes públicos e privados atuando dentro do Governo, todos autorizados pelo Governador Renato Casagrande (PSB).

A denúncia do pen drive é clara ao se referir a uma propina de R$ 40 milhões para todos eles.

Por fim, cabe lembrar que esse serviço milionário não é essencial nem prioridade neste momento de pandemia, que mata 100 pessoas por dia no Espírito Santo, em um total de quase 8 mil mortos. É que já matou mais de 330 mil brasileiros, atingindo o pico de 4 mil por dia.

Com os R$ 139 milhões de reais da licitação direcionada do Governo, Renato Casagrande compraria quase 8 milhões de vacinas e vacinaria a população do Espírito Santo por três vezes.

VÍDEO:


Fonte: folhadoes.com

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.