Folha do ES
Qui, 22 de Out

Home   Política     ELEIÇÕES 2020


Secretário de Segurança do ES pede voto e compromete a lisura das eleições

Secretário de Segurança do ES pede voto e compromete a lisura das eleições

ELEIÇÕES NO ESPÍRITO SANTO

  Por Jackson Rangel Vieira

  04.outubro.2020 às 15:04Atualizado em 04.outubro.2020 às 15:38

O Secretário de Segurança do Governo do ES Coronel Ramalho subiu no palanque de um candidato a vereador de Vitória na noite de sexta, 02 de outubro, discursou e desejou sucesso ao candidato a Prefeito da Coligação. São candidatos do grupo do Governador Renato Casagrande.

O caso é idêntico ao ocorrido em 2017, nas eleições extemporâneas da Prefeitura de Fundão, quando o ex-Secretário André Garcia declarou seu apoio a um candidato específico.

O fato gerou indignação e denúncia do Deputado Enivaldo do Anjos à Presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo, ocupado à época pelo então Presidente, Desembargador Sérgio Gama.

Enivaldo afirmou que as policiais civil e militar que cuidam da fiscalização das eleições. Mas como são subordinadas ao Secretário de Segurança, essa declaração de apoio de André Garcia a um candidato em Fundão comprometeu a imparcialidade da das polícias no processo eleitoral daquele município. Ou seja, poderiam ser vistas como milícias eleitorais de um determinado grupo político. E, por isso, segundo Enivaldo, a declaração foi inapropriada, oportunista e um deslize ético do então Secretário de Segurança.

Prova disso é que o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral à época, desembargador Sérgio Gama, acolheu a denúncia do Deputado e proibiu o Secretário André Garcia de pisar em Fundão, além de ordenar que a Polícia Federal atuasse nas eleições de Fundão/ES.

Sérgio Gama colocou a polícia federal em Fundão justamente porque entendeu que André Garcia, na condição de chefe da segurança público do Estado, deixou em xeque a imparcialidade das polícias estaduais quando declarou seu apoio a um candidato específico.

O Presidente do Tribunal Eleitoral assim agiu para proteger a lisura do pleito, impondo limites éticos ao cargo de Secretário de Segurança, proibindo o ex-Secretário de pisar no município durante as eleições, como revelou à época o portal G1 do Globo.

No Estado do Amazonas, nas eleições de 2014, o então Governador José Melo (PROS) usou a Polícia Militar como milícia eleitoral. Para atuar no pleito em seu favor e contra adversários. Em razão disso, está sendo investigado pela Polícia Federal e pelo MPF. O Fantástico, a Revista VEJA e outros veículos nacionais repercutiram o fato. Veja o link da Revista Veja:

LINK VEJA. Governador do Amazonas usou Polícia Militar para pressionar eleitores

No caso do Coronel Ramalho no Espírito Santo, será que o Deputado Enivaldo dos Anjos e a culta Presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo vão manter o mesmo entendimento para a conduta sua inapropriada, na condição de Secretário de Segurança Pública? Quem viver, verá.


Vejam as matérias do G1 do GLOBO, GAZETA e outros nos links abaixo e relembrem:

- TRE proíbe André Garcia de pisar em Fundão após vídeo com pedido de voto

- André Garcia pede voto para candidato e deputado quer tropas federais

- Presidente do TRE aciona PF para eleição em Fundão e barra André Garcia no município


Secretário de Segurança expôs a idoneidade das forças policiais do Espírito Santo


Fonte: folhadoes.com

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.