Folha do ES
Qui, 13 de Dez
INSTAGRAM DA FOLHA

Home   Política     Espírito Santo


Policial nega extorsão. Disse que apenas queria ter conversa de “homem para homem”

Policial nega extorsão.  Disse  que apenas queria ter conversa de “homem para homem”

“Jamais solicitei pagamento em dinheiro ao Amaro Neto”, disse Fernando

  Por Elimar Côrtes

  05.dezembro.2018 às 19:51Atualizado em 05.dezembro.2018 às 20:04

O cabo da Polícia Militar Fernando Marcos Ferreira, 43 anos, negou com veemência que tenha tentado extorquir R$ 500 mil do apresentador do Balanço Geral e deputado estadual Amaro Neto (PRB) por causa do “enlace amoroso” do parlamentar com a esposa do policial, a pedagoga Keila Bonde Ferreira. O PM Fernando explicou a frase que teria dito para sua esposa – “Ele falou que o silêncio dele tem um preço” – e que tinha outra conotação:

“O termo ‘preço’ não diz respeito à quantia em dinheiro, mas sim conversa de ‘homem para homem” (com Amaro Neto), disse Fernando, em depoimento prestado ao delegado Brenno Andrade de Souza Silva, da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Eletrônicos, na última sexta-feira (30/11), horas depois de ter sido preso, junto com Keila, pela acusação de extorquir o deputado.

Keila disse em depoimento que seu marido Fernando soube da traição – do “enlace amoroso” – dela com Amaro Neto na última quarta-feira (28/11). O deputado, por sua vez, frisou no depoimento prestado ao delegado Brenno Andrade que Fernando teria tomado conhecimento da traição um dia depois.

Já o PM Fernando, no depoimento prestado à mesma Autoridade Policial, disse que, “salvo engano”, soube na sexta-feira (30/11), dia da prisão, que sua esposa Keila o havia traído com o parlamentar.

Fernando disse ainda que na sexta-feira recebeu em sua residência, em Campo Grande, Cariacica, o assessor parlamentar de Amaro Neto, Elder Correa Sena, que o teria procurado para “resolver uma situação que envolvia dinheiro”. O PM disse que não conhecia Elder, que se apresentou como “interlocutor” do deputado. Disse também que mandou Elder sair de sua casa e que em momento algum manteve conversação por qualquer meio de comunicação com Amaro Neto.

“Jamais solicitei pagamento em dinheiro ao Amaro Neto”, disse Fernando, acrescentando que tomou conhecimento do “enlace amoroso” entre Keila Bonde e o deputado por meio de sua própria esposa, “que decidiu contar porque não estava mais aguentando as ameaças de Amaro Neto”.

Fernando confirmou ter tido acesso ao conteúdo das mensagens trocadas, via WhatsApp, entre Keila e Amaro. Garantiu, no entanto, que não possui nenhum tipo de cópia das mensagens. Antes de decidir continuar falando somente em Juízo, o cabo Fernando sustentou que nunca solicitou ou sugeriu pagamento em dinheiro “a preposto (Elder) de Amaro Neto”.


Fonte: Blog Elimar Côrtes

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2018 Folha do ES. Todos os direitos reservados.