Folha do ES
Qua, 12 de Ago
30 anos da FOLHA DO ES

Home   Política     Espírito Santo


'Briga boa': Articulações em Cachoeiro são testes de forças políticas

'Briga boa': Articulações em Cachoeiro são testes de forças políticas

Victor Coelho (Casagrande); Diego Libardi (Ferração) e Jonas Nogueira (Manato e Magno)

  Por Redação

  08.julho.2020 às 10:39Atualizado em 08.julho.2020 às 11:50

A permanecer o atual cenário das movimentações eleitorais à prefeitura em Cachoeiro de Itapemirim, na região sul, estarão em teste quatro blocos de forças políticas consolidadas o Estado: o governador Renato Casagrande, o deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) e o ex-deputado federal Carlos Manato junto com o ex-senador Magno Malta (PL).

A presença de cada um será por meio dos palanques já anunciados do atual prefeito Victor Coelho, do partido do governador; do ex-superintendente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Diego Libardi, o nome vendido por Theodorico como "o novo"; e do vice-prefeito Jonas Nogueira (PL), rompido com Victor e alinhado primeiro a Manato e, depois a Magno, após migrar para o PL.

No primeiro caso, Casagrande já faz esforços para reeleger o prefeito, o adversário a ser batido. Se por um lado conta com as duas máquinas, precisa superar o obstáculo da pandemia do conoravírus, que, dependendo do desfecho, pode se tornar mais uma inimiga até o pleito de novembro. Já Ferração, convocado à disputa, resolveu apresentar o presidente do DEM em Cachoeiro, apostando no discurso de renovação. Advogado que já atuou em causas da deputada federal e mulher de Theodorico, Norma Ayub, que preside a legenda estadual, Diego foi indicação dela para o cargo no Ibama, de onde saiu no início de junho para pavimentar a candidatura. Tem se apresentado ao eleitorado nas redes sociais, no projeto chamado "Cachoeiro Pode+", que une DEM e PP. O vice-prefeito Jonas Nogueira, por sua vez, saiu do PP para o PSL, atrás de Manato, que acabou deixando a legenda para fundar a Aliança pelo Brasil do presidente Jair Bolsonaro. O ex-deputado federal teria articulado com Magno a filiação de nomes que ficaram "à deriva" diante da proximidade do novo PSL com Casagrande, o que jogou por terra, também, o palanque até então erguido por Jonas. Recebido pelo ex-senador, conversa com o PSC, e mira, como todo o "time Bolsonaro", nas gestões socialistas de Cachoeiro e estadual, para minar o ex-aliado Victor Coelho. A guerra promete.

Embate

No ano passado, Theodorico Ferraço, prefeito por quatro gestões em Cachoeiro, chegou até a cogitar conversar com o PSB para a disputa municipal, mas não vingou. Agora, pelo contrário, depois de muito tempo sumido no plenário da Assembleia, tem dado várias cutucadas em Casagrande. A última delas, mais incisiva, cobrando "honestidade" e "justiça" sobre a ajuda do governo Bolsonaro ao Estado na pandemia.

Embate II

O discurso se alinha ao que tem sido repetido por Carlos Manato e a deputada federal Soraya (PSL), dando o tom nacional das eleições municipais, e pelo próprio ex-senador Magno Malta, que apesar de preterido do governo Bolsonaro após ser anunciado como vice e ministro do governo federal, permanece alimentando "mil amores" ao presidente. Magno, como se sabe, terá nas disputas municipais o primeiro termômetro do que restou do seu alcance político no Estado, após a derrota de virada em 2018.


Fonte: Século Diário - Manaiara Medeiros

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.