Folha do ES
Qui, 4 de Mar

Home   Política     Espírito Santo


Oposição comemora "cassação" do prefeito de Itapemirim, mas juiz não decidiu

Oposição comemora "cassação" do prefeito de Itapemirim, mas juiz não decidiu

A antecipação festiva do grupo contrário sobre possível sentença do juiz Romilton Vieira pode implicar em investigação criminal por exposição e ameaça ao Judiciário

  Por Jackson Rangel Vieira

  21.janeiro.2021 às 12:00Atualizado em 21.janeiro.2021 às 20:54

Durante esta semana, o grupo do candidato a prefeito Doutor Antônio (PP) vem comemorando uma sentença que não foi propalada pelo juiz eleitoral Romilton Alvez Vieira Júnior, em tese, pela cassação da chapa encabeçada pelo prefeito eleito Thiago Peçanha (PRB). A decisão sairá de amanhã (22) para a próxima semana.

O processo existe e está na mesa do magistrado, com encaminhamento da promotoria nesse sentido, pela derrubada da chapa, o que implicaria numa nova eleição. A solta de fogos, ontem, 20, é que expressou preocupação por renomados juristas porquanto demonstra conhecimento privilegiado de ato jurídico não existente.



VAZAMENTO

Possível vazamento da intenção de conceder o pleito do Ministério Público pelo renomado juiz Romilton Vieira é algo que macula a sua sentença, especulando-se uma relação não republicana entre um movimento político contra um outro sendo julgado. O Município de Itapemirim sempre foi visto como problemático e violento em várias vertentes das atividades políticas.

O vazamento de uma decisão judicial não existente preocupa. O grupo do candidato derrotado solta fogos e ameaça com barricadas caso a decisão não seja a esperada ou vazada como certa. O próprio Doutor Antônio não contém seu ímpeto como se tivesse despachado com o magistrado ou soubesse por vias transversas da sua intenção de agir em seu favor. As manifestações correm nas redes sociais.



FUTURO

Independente desse sentença em primeira instância, ainda cabe recurso no TRE e TSE, sem afastamento sumário, segundo consulta feita pela FOLHAES a juristas da área, como precedentes outros prefeitos no Espírito Santo, exemplo o prefeito de São Mateus, Daniel do Açai, cujo processo de cassação por abuso de poder econômico se arrastou e venceu no TSE por 4x3 .

Mesmo com toda a comemoração da oposição ao prefeito, até o fechamento da edição, não existe nenhuma sentença oficializada no processo eletrônico do judiciário. Ademais, a FOLHAES previu a perda do cargo com base no relatório do Ministério Público e não por informação privilegiada junto ao magistrado como deixa transparecer o Doutor Antônio e seus apoiadores que comemoram com churrasco regado a cerveja.

O juiz Romilton Alvez Vieira tem histórico de um magistrado sério e equilibrado, podendo diante dessa celebração descabida requerer uma investigação criminal contra os envolvidos sobre a motivação desse fato que macula, injustamente, sua toga.

Tem um ditador popular que cabe bem no caso em tela: o apressado come cru.


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.