Folha do ES
Dom, 11 de Abr
Receitas

Home   Saúde     Brasil


Aplicação de vacina sem reserva de estoque para segunda dose

Aplicação de vacina sem reserva de estoque para segunda dose

  Por Raphael Gomes

  19.fevereiro.2021 às 11:48

Ministro Eduardo Pazuello teve reunião com frente de prefeitos.

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (19) que decidiu fazer uma mudança na estratégia de vacinação para novas doses que chegarão ao país. Agora, cada nova dose será aplicada a uma pessoa, sem reservar metade do imunizante para a segunda dose. Justificativa é que agora há garantia de produção de novas doses em prazo mais curto, por isso não será preciso guardar metade dos imunizantes.

A pasta informou que 4,7 milhões de doses das vacinas começarão a ser distribuídas na próxima semana e que todos os imunizantes serão destinados apenas para a primeira dose.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, teve uma reunião nesta sexta com representantes da Frente Nacional dos Prefeitos.

Segundo Pazuello, as doses serão entregues entre os dias 24 a 28 de fevereiro. A nova remessa de vacinas é composta por 2,7 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan (Coronavac), produzidas no Brasil, e mais 2 milhões da vacina da AstraZeneca/Oxford, importadas da Índia pela pasta.

A intenção de destinar todas as vacinas para primeira fosse é acelerar o processo de vacinação no país.

“Vamos alterar a estratégia. Vamos mudar o modelo para autorizar a dose única da vacina do Butantan. Com isso, entramos em março com quantitativos melhores. Serão 4,7 milhões de doses e 4,7 milhões de brasileiros vacinados”, disse Pazuello.

O ministério explicou que a segunda dose da Coronavac precisa ser aplicada em um prazo de 14 dias e que em março a pasta receberá mais de 21 milhões de vacinas do Butantan. Assim, será possível aplicar a segunda dose no tempo recomendado. Já o imunizante da AstraZeneca possui um tempo maior de aplicação da segunda dose, de até 28 dias.

Pazuello também confirmou que o plano nacional de vacinação será alterado para incluir professores.

“Vamos fazer uma adaptação no Plano Nacional de Imunizações (PNI) para incluir os professores o mais rápido possível na vacinação, já a partir de março”, afirmou o ministro, que ainda declarou que fará o pagamento de janeiro a março de leitos de UTI.


Fonte: G1

Comentários Facebook


Enquete


Em quem você votaria se a disputa ficar entre Bolsonaro e Lula?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.