Duas pessoas ligadas a um camarote na Sapucaí foram presas na noite deste domingo (11). O motivo é que a comida servida para o público e para os convidados estava sendo armazenada e preparada em um banheiro. A dona do buffet e uma pessoa responsável pelo espaço foram presas em flagrante.

Em operação conjunta com o Ministério Público e Instituto Municipal de Vigilância Sanitária (Ivisa-Rio), policiais civis da 6ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova) que estavam presentes no Sambódromo fizeram a prisão em flagrante, por crime contra as relações de consumo, depois de receberem denúncias. Cerca de 500 quilos de alimentos foram descartados.

A promotora Rosemary Duarte, que esteve na operação, disse que jamais viu nada igual.

— Deu nojo. Mas a atuação do MP foi fundamental para zelar pela saúde dos frequentadores da Sapucaí — afirmou.

O camarote flagrado pela operação vendeu todos os ingressos para este domingo (11), primeiro dia de desfile do Grupo Especial. A entrada mais barata para o local custava R$ 2.790.