Um homem suspeito de cometer estupros em série no Espírito Santo e no Pará foi preso. Cleuson Ferreira de Sousa, de 33 anos, era foragido do sistema prisional paraense desde 2017.

A polícia conseguiu efetuar a prisão do rapaz, no Pará, após identificar dois casos de estupro em Vila Velha, no Espírito Santo. As informações foram divulgadas pela Polícia Civil capixaba nesta quinta-feira (29).

Segundo a polícia, a investigação começou após uma das vítimas, de 13 anos, reconhecer o suspeito na rua cerca de três meses após o crime.

 

Na ocasião, Cleuson chegou a ser detido. Como não havia flagrante e ele estava com documento com nome falso, não foram localizados mandados de prisão em aberto. O rapaz acabou liberado.

Em janeiro deste ano, segundo a polícia, ele cometeu outro estupro em Vila Velha, contra uma menina de 12 anos. 

"Em março do ano passado, ele invadiu uma residência e, com um auxílio de uma faca, cometeu o estupro de uma menina de 13 anos. Ele foi reconhecido pela vítima cerca de três meses depois no meio da rua. Em janeiro desse ano, ele estuprou outra menina. Ele entrou em um apartamento e cometeu um estupro contra uma menina de 12 anos", explicou a delegada adjunta da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Gabriella Zache.

 

De acordo com a polícia, após os casos no Espírito Santo, Cleuson fugiu para o Pará, onde foi preso no início desse mês na casa da mãe.

Para a prisão, foi realizado um trabalho de inteligência em conjunto entre as policiais do Espírito Santo e do Pará, onde ele teria cometido os crimes de estupro, e de São Paulo, de onde era o documento falso utilizado pelo suspeito. 

Suspeito invadia residência e usava faca para render e ameaçar vítimas

 

De acordo com as informações apuradas nos dois casos que ocorreram em Vila Velha, o "estuprador em série" invadia as residências das vítimas quando elas estavam sozinhas e usava uma faca para ameaçá-las. 

 

No caso registrado em janeiro, segundo informou a delegada, o homem usou o fato de já ter morado no edifício para entrar no prédio. Ele pediu uma faca à vítima para mexer nas plantas e, quando foi devolver, rendeu a menina.

A polícia capixaba não teve acesso aos detalhes dos casos registrados no Pará, pois são investigados em segredo de justiça por envolver menores de idade.

Os investigadores não destacam a possibilidade de haver outras vítimas do suspeito.