O vereador Léo Camargo (PL) ficou entre a cruz e a espada diante do mal estar político entre o vereador e pré-candidato a prefeito Júnior Correa, do seu partido, e o senador Magno Malta, presidente estadual da legenda. Mas disse sua posição continua a mesma, fiel ao projeto do seu colega de Câmara Municipal e ao líder regional de seu partido. “Até me convencem ao contrário, mantenho-me no mesmo lugar com o objetivo de ser o parlamentar municipal mais votado do Múnicípio. Ninguém se reuniu comigo para esclarecer o que está acontecendo”, frisa.

O imbróglio político desta semana foi o susposto afastamento de Júnior Correia com Magno Malta em nota pública, somado com a reunião promovida pelo deputado estadual e presidente do PP em Cachoeiro de Itapemirim-ES, Theodorico Ferraço, que reuniu o MDB, com a presença do pré-candidato a prefeito do PL à revelia do senador. O assunto rende e deve ter desdobramento após o período de Carnaval até o último momento para a abertura da janela partidária que permite a troca de legenda poderá entre  7 de março a 5 de abril, data final do prazo de filiação exigido em lei.

Leo Camargo vem sendo analisado pelos formadores de opinião e por alguns segmentos da imprensa como um proválvel substituto de Júnior Correa pelo PL para postular a candidatura de prefeito. Entretanto, segundo ele, tudo que aconteceu foi no repente e pegou todo mundo de surpresa. Deixo claro que o meu projeto continua sendo junto com o Júnior Correa. "Continuo no PL e meu líder é o senador como de todos que são filiados ao partido. Podem especular sobre tudo, porém me mantenho como antes desse desentendimento", esclarece.

O vereador Léo Camargo vem se destacando como a mais evidente oposição ao prefeito Victor Coelho (PSB) com denúncias quase que diárias. Sua performance como parlamentar municipal tem superado a expectativa diante da maioria de edis situacionistas e omissos sobre suass atribuições de fiscalizar o Executivo que laçou à sucessão a advogada e secretária de Obras, Lorena Vasques (PSB). “Espero que tudo se normalize dentro do PL com Júnior Correa", conclui.

NOTA OFICIAL DO JÚNIOR CORREA