Por ora, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) optou por adiar a decisão sobre duas ações que requerem a cassação e inelegibilidade do senador Sergio Moro (UB-PR). A análise foi interrompida devido a um pedido de revisão do juiz Rosé Rodrigo Sade.

A previsão é de que o julgamento seja reiniciado na quarta-feira (3). Levando em conta que o presidente do TRE do Paraná agendou três sessões para examinar o caso relacionado a Moro, espera-se que a decisão final seja tomada entre os dias 8 e 9 de abril.

Durante a primeira sessão, os advogados do PL e do PT realizaram suas argumentações orais. Ambas as siglas estão unidas no processo e solicitaram a cassação e a inelegibilidade do ex-juiz da Lava Jato, alegando suposta prática de abuso de poder econômico.

Ao proferir seu voto, o relator do processo, juiz Luciano Carrasco Falavinha, expressou sua posição contrária à punição de Sergio Moro. Em sua análise, ele afirmou não haver evidências suficientes que justifiquem a destituição do mandato do congressista.