Folha do ES
Ter, 4 de Out
Nova logo da LEIA Pesquisa

Home   Estilo     Celebridades


Último trabalho de Jô Soares deve estrear em setembro em São Paulo

Último trabalho de Jô Soares deve estrear em setembro em São Paulo

Artista dirigia montagem de 'Gaslight - uma relação tóxica', do inglês Patrick Hamilton.

  Por redação

  06.agosto.2022 às 09:12

O último trabalho de Jô Soares, morto aos 84 anos no dia 5 de agosto, será conhecido pelo público em setembro. O humorista, dramaturgo, diretor, escritor e apresentador trabalhava na direção da peça “Gaslight - Uma relação tóxica”, com estreia prevista para setembro, no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. O espetáculo marcaria o retorno ao palcos de Jô, quatro anos após dirigir e atuar na montagem de "A Noite de 16 de Janeiro".

O ator Giovani Tozi, que faz parte do elenco de “Gaslight - Uma Relação Tóxica” e trabalhava com Jô Soares no espetáculo, usou as redes sociais para homenagear o amigo e contar como nasceu o último trabalho de Jô Soares:

"Gaslight - Uma Relação Tóxica nasceu numa noite de cinema no seu apartamento, quando nós dois assistíamos a versão cinematográfica, de 1944, estrelada por Ingrid Bergman. Fiz o convite arriscado pra levarmos à história aos palcos, ele topou, afinal 'teatro é trapézio sem rede', e homem de teatro que é, nunca teve medo de desafios", escreveu Tozi.

Tozi, contou ainda que Jô Soares era um diretor exigente, que buscava a perfeição e estava atento aos detalhes:

"Foi o homem mais generoso que eu já conheci. Um menino curioso, que trabalha incansavelmente e sabia a importância disso, do trabalho. É no trabalho que sempre buscou a perfeição e não admitia nada abaixo disso. Orquestrava a encenação de uma peça com mais de 20 atores, sem deixar de reparar no botão do figurino de uma atriz", escreveu Tozi.

Tozi descreve Jô Soares como gênio e homem de grande cultura. "Falo do lugar de quem teve o privilégio de mergulhar na sua história."

A peça “Gaslight - Uma Relação Tóxica” foi escrita pelo inglês Patrick Hamilton e retrata um homem a própria mulher sob seu controle fazendo com que ela duvide de sua própria sanidade ao abaixar as luzes da casa e negar qualquer alteração no entorno.

O texto foi adaptado para o cinema em 1940, com direção de Thorold Dickinson, e é a origem do termo gaslighting, usado sobretudo para descrever a ação de um agressor que faz com que a pessoa agredida duvide de si mesma e de sua sanidade. O termo ganhou maior repercussão nos últimos anos graças à quarta onda feminista.


Fonte: IG Mail

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.