Folha do ES
Ter, 20 de Out

Home   Estilo     Comportamento


O que é síndrome de Borderline? Entenda a crise de Raissa em A Fazenda 12

O que é síndrome de Borderline? Entenda a crise de Raissa em A Fazenda 12

  Por João Machado

  18.setembro.2020 às 12:40Atualizado em 18.setembro.2020 às 11:10

Após receber oito votos na formação da primeira roça de A Fazenda 12, Raissa Barbosa protagonizou um momento de revolta no reality rural da Record. A vice-miss bumbum 2017 socou a cama, abafou gritos no travesseiro, se trancou no banheiro e jogou água em Biel. Alguns internautas, então, lembraram que a modelo sofre de síndrome de Borderline e pediram para que ela não seja chamada de desequilibrada.

Raissa descobriu o transtorno mental em outubro de 2019 e iniciou psicoterapia para o tratamento, mas a interrompeu durante a pandemia da Covid-19. Ela também toma medicamentos prescritos em momentos que não consegue controlar a crise, mas deixou claro que o uso não é contínuo porque pode causar dependência.

!Do nada estou muito bem, feliz. Do nada, fico com raiva e choro", explicou ela, sobre as mudanças de humor ocasionadas pela síndrome e que acabaram acontecendo dentro do confinamento.

"Se alguém fala uma coisa que não gosto, não consigo disfarçar, já fecho a cara. Mas às vezes, eu esqueço o que aconteceu e já volto ao normal", relatou em uma sequência de Stories fixada nos destaques do seu perfil no Instagram.

Mudanças de humor

A psicóloga Stefani Torres explica que a reação de Raissa tem tudo a ver com a síndrome. "As pessoas diagnosticadas apresentam maior dificuldade de regular suas emoções e interpretar as emoções dos outros. É comum que essas pessoas apresentem instabilidade afetiva e grande impulsividade frente às frustrações", diz a profissional ao Notícias da TV.

"O que nós vimos pode ter sido um momento de crise. É importante que ela seja cuidada por um profissional de saúde mental, o programa deveria oferecer isso a ela da mesma que ofereceria um atendimento médico para quem machucasse a perna, por exemplo", alerta a psicóloga.

Em seu relato, a peoa contou que de início, não aceitou que tinha o transtorno, mas aconselhou seus seguidores a se observarem e procurarem ajuda médica. "É muito comum as pessoas terem e não saberem, porque não procuram ajuda. Se sentir que precisa de ajuda, procure um médico. Não tenham aquele preconceito de que psiquiatra é para gente doida. Eu não sou doida", declarou ela.


Fonte: Notícias da TV - Daniel Castro

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.