Folha do ES
Sex, 7 de Ago
30 anos da FOLHA DO ES

Home   Geral     Brasil


Conheça a empresa brasileira onde o cliente personaliza o próprio vinho

Conheça a empresa brasileira onde o cliente personaliza o próprio vinho

O cliente pode escolher o blend de uvas para criar um rótulo próprio ou vinificar em grande escala para comercializar

  Por João Paulo Rosa

  01.agosto.2020 às 13:42

Ter um vinho para chamar de seu nunca foi tão fácil! Isso porque, uma pequena empresa localizada em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, tem a proposta inusitada de oferecer todos os aparatos para o cliente vinificar seu próprio rótulo, oferecendo exclusividade e garantia e um vinho do seu jeito.

A ideia de criar a Empresa Brasileira de Vinificações, a EBV, surgiu em 2010, quando o enólogo uruguaio Alejandro Cardozo e o administrador de empresas gaúcho Julio Slovinsky trabalhavam juntos em uma vinícola gaúcha. Além de produzir os próprios vinhos, a operação realizava vinificações para terceiros. “Vinificação é todo o processo que envolve a transformação da uva nos mais diversos tipos de vinho”, explica Alejandro, em entrevista ao Metrópoles.

Segundo ele, esse é um processo que, muitas vezes, implica em muitas burocracias. “É comum as vinícolas maiores alugarem seus equipamentos e prestarem serviços de enologia para produtores menores que não têm todos os equipamentos necessários, para importadoras e restaurantes que querem uma marca própria ou até para pessoas físicas interessadas em fazer o próprio vinho”, conta.

A demanda por esse tipo de serviço é grande. “Nos chamou a atenção o fato de não existir uma empresa dedicada exclusivamente a isso, que não tivesse uma marca própria de vinho para competir com os clientes”. De olho na oportunidade, Cardozo e Slovinsky decidiram, então, criar a EBV. Atualmente eles possuem cerca de 60 clientes de todo o Brasil e em 2019, faturaram R$ 2 milhões.

A empresa foi instalada em um galpão de 3 mil metros quadrados, que precisou ser adaptado para o uso de uma vinícola, com a instalação, por exemplo, de tubulação de CO2, usado para gaseificar artificialmente alguns tipos de vinhos e bebidas derivadas. Os sócios compraram todos os equipamentos necessários para a produção: desengaçadeiras (máquinas que separam o bago do cacho), prensas, tanques de maceração e de fermentação com temperatura controlada, autoclaves (tanques para produção de espumante), barris de carvalho, engarrafadoras e, mais recentemente, enlatadoras.

Para alguns clientes, a EBV presta consultoria desde a plantação da uva até a rotulagem da garrafa, realizando toda a vinificação. Para outros, só vinifica. Para outros ainda, vende vinhos já prontos com bandeira branca. “É um atendimento customizado. O cliente pode, por exemplo, escolher só o blend. Ou pode mandar o seu enólogo para trabalhar nas instalações da EBV. Pode produzir 300 garrafas ou um milhão”. Segundo Cardozo, a garrafa mais barata sai por R$ 25, o que não inclui o valor do rótulo.

Eles fazem tintos, brancos e rosés, mas a especialidade da casa são os espumantes de método charmat e eles correspondem a cerca de 80% do total da produção. Com o objetivo de agregar tecnologia, eles criaram um sistema para servir espumantes em torneiras de chope. O espumante é envasado em um barril de chope, onde o gás é mantido. Esse barril pode ser acoplado a qualquer torneira de bar.

“Os produtores de vinho ficam reclamando da concorrência das cervejarias artesanais”, diz Cardozo. “Em vez disso, decidimos surfar na onda deles. Num grupo que vai à cervejaria, sempre tem alguém que prefere vinho. Então, os bares de cerveja estão gostando da ideia de ter uma torneira de espumante. Em 2019, vendemos 2 mil barris de 20 litros para clientes revenderem”, entrega..

Quem tiver interesse em produzir o próprio vinho pode entrar em contato com eles pelo Instagram.


Fonte: metropole

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.