Folha do ES
Dom, 12 de Jul
Rádio Cidade

Home   Geral     Mundo


Hospitais de Hong Kong ameaçam greve se China não fechar fronteiras

Hospitais de Hong Kong ameaçam greve se China não fechar fronteiras

Mais de três mil trabalhadores de hospitais públicos de Hong Kong votaram hoje (1º) a favor da realização de uma greve

  Por Redação

  01.fevereiro.2020 às 17:58

Em Hong Kong estão confirmados 14 casos de contaminação por coronavírus, e 112 pessoas foram colocadas em quarentena.

No início da semana, a chefe do executivo local, Carrie Lam, anunciou o corte de todas as ligações ferroviárias com a China continental a partir de sexta-feira (31), devido ao receio de propagação do novo vírus.

O número de voos para a China também foi reduzido, mas as fronteiras não estão fechadas. Oito dos 14 pontos de passagem para a China permanecem abertos.

A menos que sejam tomadas medidas na fonte da contaminação, "os meios para prevenir a epidemia e os recursos humanos não serão suficientes", disse Winnie Yu, presidente da Aliança dos Funcionários da Administração Hospitalar.

"Não queremos ir para a greve, mas o governo ignorou os pedidos do pessoal médico que está na primeira linha.

Não temos alternativa", acrescentou. Representantes da aliança devem se reunir com a administração hospitalar da cidade de Hong Kong no domingo. Segundo o sindicato, nove mil trabalhadores apoiam a greve.

Caso não seja alcançado um acordo, 30% desses trabalhadores - no caso, os que não realizam tarefas essenciais - iniciarão a paralisação já na segunda-feira (3). O restante fará posteriormente uma greve de quatro dias.

Coronavírus: o que sabemos

Até agora, a transmissão entre humanos ocorreu assim:
  • Proximidade do doente com familiares e profissionais de saúde
  • Maioria dos casos envolve contato com quem visitou a província de Hubei (China), cuja capital é Wuhan, de onde o vírus partiu
  • Fora da China, a transmissão entre pessoas ocorreu no Vietnã, Japão, Alemanha e EUA
Qual a gravidade da doença?
  • Os problemas respiratórios variam de leve à pneumonia e morte
  • Os sintomas são graves em 18% dos casos, com 2% de mortes
  • Gravidade é maior entre pessoas já doentes e idosas
  • Ainda não há registro de casos graves fora da China
Como se prevenir?
  • Não entre em contato com quem sofre de infecções respiratórias
  • Use lenço descartável
  • Lave as mãos frequentemente
  • Use álcool gel para limpar a superfície dos móveis e objetos
  • Evite contato com animais selvagens ou doentes
Fonte: OMS (Organização Mundial de Saúde)

Fonte: Uol

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2020 Folha do ES. Todos os direitos reservados.