Folha do ES
Dom, 24 de Jan
Cofril

Home   Judiciário     Brasil


Candidatos capixabas aprovados contestam na Justiça anulação de concurso para delegado

Candidatos capixabas aprovados contestam na Justiça anulação de concurso para delegado

  Por Redação

  27.novembro.2020 às 17:04

Um grupo de 30 candidatos aprovados no concurso para delegados de 2019, no Espírito Santo, ingressou com uma ação judicial para contestar a anulação do mesmo por parte do delegado geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda. A denúncia foi protocolizada, na última segunda-feira (23/11), na 2ª Vara de Fazenda Pública, em Vitória.

Entenda o caso

Ao todo foram 82 candidatos aprovados nas duas fases ocorridas, em 2019, sendo a primeira em 14 de julho e a segunda em 22 de setembro. No entanto, o delegado geral José Darcy Santos Arruda suspendeu a validade do concurso por meio de portaria, em março de 2020, ao retirar a capacidade técnica da banca avaliadora das provas. Na ocasião, ele disse que faria auditoria para apurar supostas irregularidades. Coincidentemente, o feito aconteceu depois que ele recebeu a listagem com os nomes dos aprovados. O Instituto Acesso, organizador do concurso, recorreu administrativamente da decisão, ao alegar que não era competência do delegado anular o mesmo.

Para o deputado estadual Euclério Sampaio, que é delegado aposentado, a ação praticada pelo delegado geral José Darcy Santos Arruda seria ilegal e teria o suposto objetivo de tentar favorecer alguns candidatos reprovados, tais como uma funcionária que trabalha com o policial, familiares de ex-delegado e de ex-deputado, noticiou o jornal Folha do Espírito Santo, em janeiro deste 2020.

O delegado José Darcy Arruda tinha um prazo de cinco dias, à época, para despachar o recurso apresentado pela banca organizadora. No entanto, já se passaram mais de seis meses.

Em julho deste ano, o Sindicato de Delegados Policiais do Espírito Santo (SINDEPES) e a Associação de Delegados de Polícia do Espírito Santo (ADEPOL/ES) denunciaram José Darcy Arruda por improbidade administrativa ante o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) e a Corregedoria da Polícia Civil. As duas entidades denunciantes disseram que a anulação unilateral do resultado do concurso por parte do delegado geral foi 'inconstitucional' e que não era de sua competência funcional, que foi feita de forma 'genérica' e sem qualquer justificativa legal ou convincente.

O concurso feito em 2019 já era pleiteado desde 2018, inclusive por decisão judicial. A meta era convocar inicialmente 33 aprovados, para suprir um déficit de 73 delegados no estado.

Atualidades do caso

O grupo de 30 aprovados que questiona judicialmente os atos administrativos do delegado geral José Darcy Arruda é assessorado juridicamente pelo escritório Nicodemos & Nederstigt Advogados Associados, com sede no Rio de Janeiro.

"Estamos requerendo judicialmente a sustação dos efeitos da ação do delegado geral da Polícia Civil, por considerarmos que ele não tem legitimidade para isso, que prejudica a livre concorrência e coloca em xeque a isonomia do concurso, além da questão dos supostos delitos de improbidade administrativa e de prevaricação contra a administração pública e por criar ônus para a mesma", explicou o advogado Gustavo Proença, do escritório Nicodemos & Nederstigt Advogados Associados.

Mais polêmicas envolvendo o delegado geral

Essa não seria a única polêmica envolvendo o delegado geral da Polícia Civil do Espírito Santo, José Darcy Arruda. Em janeiro deste ano, a Folha do Espírito Santo publicou que ele acumulava o cargo de professor universitário, o que seria proibido pela legislação capixaba, ademais de supostamente acobertar que alguns colegas estivessem fazendo 'horas extras fantasmas', como o caso de uma delegada e o esposo, que juntos teriam acumulado mais de 240 mil horas extras entre julho de 2014 e julho de 2019, conforme investigação do MPES.


Fonte: Folha do ES

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.