Redação - 13/11/2017 14h31 - Atualizado em 13/11/2017 14h38
O ex-prefeito Roberto Valadão é o entrevistado desta terça (14), às 16h, no Vai Encarar
Jornalista Jackson Rangel Vieira conversa sobre política e temais atuais diversos

O quadro ‘Vai Encarar’ apresentado pelo jornalista Jackson Rangel Vieira, depois de entrevistar várias personalidades do cenário político capixaba, recebe nesta terça-feira (14), às 16h, o ex-prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES Roberto Valadão.

Conhecido por seu estilo combatido e de não fugir de assuntos polêmicos, Valadão foi fundador do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964.

Em 1971 foi nomeado vice-prefeito de Cachoeiro de Itapemirim em 1971, deixando o cargo em novembro de 1972, antes de encerrar o mandato, para eleger-se vereador.

Líder da bancada na Câmara Municipal até 1979, integrou as comissões de Justiça e de Redação (1973-1975) e de Educação e Saúde (1975-1977). Em novembro de 1976 reelegeu-se ainda na legenda do MDB.

Empossado em fevereiro de 1977, manteve-se como titular em ambas as comissões até 1981.

Candidato à Assembleia Legislativa do Espírito Santo no pleito de novembro de 1978 foi eleito deputado estadual na legenda do MDB, deixando a Câmara Municipal em fevereiro de 1979. Líder da bancada, com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979, e a consequente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Permanecendo na liderança, presidiu a Comissão de Educação e Saúde de 1981 a 1983.

Eleito para a prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim na legenda do PMDB em novembro de 1982, tomou posse em janeiro de 1983. À frente da administração municipal, criou o Horto Municipal, atual Centro de Cultura Natural Augusto Ruschi, destinado à produção de alimentos sem emprego de agrotóxicos, o restaurante dos empregados da municipalidade, além de creches, escolas e asilos.

No Congresso Nacional

No pleito de outubro de 1990 elegeu-se deputado federal, tomando posse em fevereiro de 1991. Titular da Comissão Especial sobre os Desaparecidos Políticos Pós-1964, na sessão da Câmara dos Deputados de 29 de setembro de 1992 votou a favor da abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias.

Votou a favor da extinção do voto obrigatório, pela criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF) e do Fundo Social de Emergência (FSE), que permitiria ao governo gastar até 20% da arrecadação vinculada às áreas de saúde e de educação.

Reeleito no pleito de outubro de 1994, assumiu em fevereiro de 1995, integrando até 1998 as comissões de Direitos Humanos, de Ciência e Tecnologia e de Comunicação e Informática.

Reelegeu-se prefeito de Cachoeiro do Itapemirim nas eleições de 2004.

O programa será editado, mas a transmissão ao vivo pode ser conferida no Facebook.com/folhaes.com.br

 

 



folha do es
Comentários: