Folha do ES
Sex, 25 de Jun
Gif Folha do ES

Home   Judiciário     Brasil


STF: processos contra Lula devem correr na Justiça Federal do DF

STF: processos contra Lula devem correr na Justiça Federal do DF

Os ministros agora analisam se a 2ª Turma tem competência para declarar o ex-juiz Sergio Moro suspeito

  Por Raphael Gomes

  22.abril.2021 às 15:13

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quinta-feira (22/4), que os processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que saíram da 13ª Vara Federal de Curitiba, devem ficar na Justiça do Distrito Federal. Agora, o colegiado analisa se mantém decisão da 2ª Turma que declarou o ex-juiz Sergio Moro suspeito no caso do petista.

Em relação à competência para julgar os casos, houve divergência entre os ministros. Foram abertas três vertentes: Justiça do DF, Justiça de SP e 13ª Vara Federal de Curitiba. Contudo, a maioria decidiu que os processos ficam no Distrito Federal.

Edson Fachin – Justiça do Distrito Federal Nunes Marques – 13ª Vara Federal de Curitiba Alexandre de Moraes – Justiça de São Paulo Luís Roberto Barroso – Justiça do Distrito Federal Rosa Weber – Justiça do Distrito Federal Dias Toffoli – Justiça do Distrito Federal Cármen Lúcia – Justiça do Distrito Federal Ricardo Lewandowski – Justiça de São Paulo Gilmar Mendes – Justiça do Distrito Federal Marco Aurélio Mello – 13ª Vara Federal de Curitiba Luiz Fux – 13ª Vara Federal de Curitiba

Destino dos processos contra Lula

Nunes Marques entendeu que não poderia se manifestar sobre o declínio a São Paulo ou Distrito Federal, uma vez que, em discussão anterior, foi a favor da competência da 13ª Vara de Curitiba para julgar os casos.

O ministro Ricardo Lewandowski seguiu a divergência aberta por Moraes, pela competência de São Paulo para analisar os casos do petista.

“Em nenhum local das quatro denúncias existe alguma alusão que teriam sido feitas por tratativas em Brasília”, disse.

Os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Dias Toffoli e Cármen Lúcia acompanharam o relator, para que os casos fiquem no Distrito Federal.

Suspeição de Moro

Ao anular as condenações contra o ex-presidente, o ministro Luiz Edson Fachin declarou que um outro pedido de habeas corpus de Lula, esse envolvendo a parcialidade de Moro, havia perdido o objeto. A 2ª Turma, onde tramitava o processo, discordou e considerou o ex-juiz suspeito.

A expectativa é de que o plenário mantenha a parcialidade. A defesa de Lula sustenta que a 2ª Turma já decidiu o caso e que, conforme questão de ordem apresentada em ação penal, não se admite a alteração do órgão julgador para o plenário após iniciado o julgamento, sob pena de ofensa ao princípio do juízo natural.

O destino dos processos de Lula, no entanto, ainda não é conhecido, porque poucos ministros deram indícios de suas posições sobre o tema.

Fachin, Rosa Weber e Luiz Roberto Barroso disseram entender que a Justiça Federal de Brasília deve processar as ações. Alexandre de Moraes sugeriu a Justiça de São Paulo, local em que estão tanto o sítio de Atibaia quanto o tríplex do Guarujá. Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes ainda não opinaram.


Fonte: Metrópoles

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2021 Folha do ES. Todos os direitos reservados.